Perfil do Setor

Perfil do Setor no Grande ABC

O setor de panificação e confeitaria trabalha hoje com projeção de crescimento entre 7% e 10% para o ano de 2010. Porém alguns trabalham com projeções mais otimistas de 13%.

Através de pesquisa pode-se concluir que 85% dos proprietários de padarias pretendem investir no negócio, e esse alto índice é explicado pelo entusiasmo do setor e pelo leque de ações que podem ser feitas: compra de equipamentos, assessórios, reformas, informatização, etc.

Apenas 10% manifestaram a intenção de não terem planos de investimento e 5% não pretendem investir.

O Brasil hoje apresenta um número estimado de 63.200 padarias, sendo que desse total aproximadamente 20% estão no estado de São Paulo e no Grande ABC composto pelos municípios de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra onde estão instaladas mais de 1.050 padarias para atender uma população estimada de 2.650.000 pessoas.

No ano de 2009 o setor faturou mais de R$ 49 bilhões o que representa aproximadamente 2,2% do PIB nacional.

O consumo per capta de pão na região do ABC fica em torno de 36 kg mais do que a média de grandes capitais e tem suas padarias visitas por 753 pessoas dias aproximadamente.

São as panificadoras hoje responsáveis por 10% do consumo de alimentos do país e já representam 40% do mercado de foodservice gerando de forma direta aproximadamente 18 mil empregos no ABC e indiretamente esse número salta para 64 mil trabalhadores.

Os grandes desafios e mudanças que o setor enfrenta fazem com que os empresários e seus colaboradores se transformem. A necessidade de profissionalizar a gestão do negócio se torna cada vez mais urgente, e não cabe mais amadorismo na direção e na equipe de trabalho.

O consumidor mudou os hábitos e costumes e para estar alinhado a tudo isso o setor de panificação e confeitaria precisa saber escolher bem os funcionários e mantê-los atualizados para uma melhoria de seus produtos e serviços oferecidos.

Para tanto é necessário que as empresas fornecedoras e parceiras do setor estejam prontas para enfrentar novos desafios, e acompanhar a necessidade de investir em treinamentos, cursos, palestras e ações que auxiliam o panificador na gestão do seu negócio.

Performance do setor de panificação e confeitaria brasileiro em 2010

As empresas de Panificação e Confeitaria brasileira confirmam o momento de evolução pelo qual passam nos últimos anos. Em 2010, o índice de crescimento estimado foi de 13,7%, maior do que já se tinha atingido em 2009 (12,61%). Com isso, o faturamento do setor chegou a, aproximadamente, 56,3 bilhões de reais. O levantamento dos números foi feito pelo Instituto Tecnológico ITPC, em parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria – Abip, através de pesquisa em mais de 1.500 empresas de todo o país, abrangendo das pequenas até grandes representantes do setor.

As transformações percebidas nas empresas de Panificação e Confeitaria vêm se refletindo nos resultados observados nos últimos anos. De acordo com a pesquisa, os novos serviços introduzidos no setor, principalmente aqueles ligados à Administração e incentivando o foodservice foram responsáveis por cerca de 60% do crescimento identificado. Assim, a criação de áreas para café, restaurantes, lanchonetes, produtos assados na hora, além de novos produtos e variações de receitas vem tornando as padarias verdadeiros “Centros Gastronômicos”, capazes de receber e suprir os clientes em vários de seus momentos de compra.

Panificação x Outros setores

A seguir apresenta-se um gráfico mostrando o crescimento da Panificação em 2010, comparado a outros setores ligados à alimentação e varejo. As empresas panificadoras registram um crescimento maior que concorrentes diretos.

* GPA – sem Ponto Frio
** Expectativa dos setores
Outros indicadores

 tabela a seguir mostra outros índices reunidos pela pesquisa:

Indíces

% de aumento

Faturamento

13,7

Tiquete médio

10,9

Fluxo de clientes

2,80

Nº de funcionários

3,40

Fonte: Propan / Abip (2011)

O número de empresas que compõem o setor continua na casa dos 60 mil, que receberam cerca de 42,25 milhões de clientes no último ano. As vendas de produção própria representam a maior parte do volume de faturamento, R$ 27,60 bilhões. O volume de faturamento abarca, inclusive, os cerca de 20% de empresas informais que compõem o setor. A tabela a seguir mostra os números de faturamento por departamento:

* De acordo com a última pesquisa realizada pela Abip, em 2008.
Fonte: Propan / Abip (2011)

As empresas do setor podem ser classificadas da seguinte forma:

Comparativo

A tabela a seguir mostra um comparativo do setor, a partir de 2006, onde se percebe um crescimento no tíquete médio do setor e, consequentemente, aumento de faturamento.
Isso reflete os resultados obtidos a partir dos investimentos em novos modelos de serviços e linhas de produtos, ajudando a consolidar a maior presença das empresas de Panificação e Confeitaria no cotidiano dos brasileiros.

O cliente busca cada vez mais comodidade tanto para comprar quanto consumir os produtos que compram. E com as padarias e confeitarias oferecendo maior variedade de serviços, a frequência de visitas tem aumentado, movimentando este ciclo de crescimento.

É importante ressaltar que essa estimativa leva em conta o número de empresas informais dentro do segmento.

Empregos gerados

Outro aspecto de destaque diz respeito aos empregos gerados pelo setor. Em 2010, houve um aumento de 3,40% no número de postos gerados. Isso representa 25 mil funcionários contratados pelas padarias em 2010. Assim, o setor gera cerca de 758 mil empregos diretos e 1,8 milhão de forma indireta. Contudo, ainda se percebe uma defasagem de cerca de 25 mil postos no setor, donde se conclui que este número poderia ser maior, caso houvesse maior investimento em qualificação de mão-de-obra.
Fonte: ABIP e Propan – Jan / 2011