Como as marcas podem se destacar utilizando vídeos curtos?

Plataformas com vídeo, principalmente Instagram e TikTok, fizeram o uso das redes sociais crescer durante a pandemia da Covid-19. No último um ano e meio, as lives e vídeos curtos se popularizaram para um aumento de consumo desse tipo de conteúdo, que ainda segue em crescimento. A The Evolution of Social Media Report, pesquisa feita pela empresa App Annie, mostra que, esse ano, aplicativos de redes sociais já foram baixados mais de 9,2 bilhões de vezes. Os usuários devem consumir mais de 740 bilhões de horas nessas plataformas.

Isso significa que conquistar a audiência é algo mais desafiador. “Cada vez mais estamos competindo pela atenção das pessoas, a todo momento, em todos os meios, em todas as redes sociais, estamos vivendo a era do excesso de informação. Antes, alguns estudos diziam que a concentração humana durava entre 10 e 18 minutos, em 2020, esse dado foi atualizado, para menos, agora conseguimos manter alguém concentrado entre 7 a 10 minutos, e os formatos em vídeo, é o que mais precisam se adaptar a essa nova realidade, tornando-se cada vez mais dinâmicos, e consequentemente a vem a pressão de serem mais assertivos”, contou Rafael Arty, sócio e diretor comercial da Squid, ao Mundo do Marketing.

Rafael elaborou diversas dicas que ajudam as marcas a se destacarem:

Formatos como Reels e TikTok, trazem essa grande promessa e expectativa, mas, as marcas também precisam ter pilares muito bem definidos para bombar nessa tendência. Como primeiro passo, as marcas precisam entender qual é a persona que já consome esses formatos e qual é a persona potencial que pode passar a consumir se aquele conteúdo passar a trazer informações que hoje ela é carente.

Feito esse recorte, as marcas precisam definir quais mensagens-chaves elas querem passar para marcar presença e reconhecimento, e isso irá definir toda a estética do conteúdo, entregando para a audiência não só o conteúdo pelo conteúdo, mas sim, valor agregado, informação e relevância.

Construção de valor
É importante que as marcas entendam que nesse tipo de formato elas precisam para de falar delas mesmas e falar qual é a entrega de valor delas para otimizar ou fazer diferença na vida ou rotina das pessoas, mostrar benefício e cumprir com essa promessa, consequentemente irá gerar UGC (User-Generated Content), em que sim, as pessoas vão passar as falar da marca de forma orgânica.

Aproveite esse conteúdo, para materializar a experiência que você entrega como marca, se é conforto, traga situações que sua persona se identifique atrele a sua marca a essa situação porque no seu conteúdo ela viu e aquilo gerou um gatilho, gerou uma conexão.

Como, de forma geral, os conteúdos que geram engajamentos são as famosas TAG’s (conteúdo de mesmo formato com alto poder de replicação), o segredo é entender como traduzir a personalidade da marca dentro desse modelo, quebrando aquela visão de algo engessado ou pouco pessoal.

Os consumidores buscam comprar cada vez mais se conectar com outras pessoas, dessa forma buscando por marcas que tenham esse comportamento.

Dicas rápidas para a criação de conteúdo:

1 – Não se pague a querer fazer algo profissional, o intuito é ser orgânico;
2 – Busque as Tags que estão mais fazendo sucesso no momento;
3 – Não olhe para métricas de números, o foco aqui é a experiência de quem está vendo e não a quantidade;
4 – Traga sua comunidade de consumidores para criar conteúdo junto com você;
5 – Busque trazer sempre algum elemento inusitado, é isso que geralmente faz o conteúdo ter mais engajamento e alcance;
6 – Tenha frequência, é ela que irá fazer sua rede crescer e conquistar novos consumidores. Não é sobre fazer muito mas é sobre fazer sempre.

Fonte: Mundo do Marketing