Mercado pet deve faturar R$ 15,4 bilhões em 2013

A Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) em reunião na Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Animais de Estimação, anunciou as projeções mundial e nacional de crescimento do mercado pet. Estima-se que o Brasil fature este ano R$ 15,4 bilhões, um aumento de 8,3% em relação a 2012, e permaneça em segundo lugar em nível mundial, atrás dos Estados Unidos. Globalmente, o setor deverá chegar à marca de U$ 102 bilhões.

A expansão por segmento também será alta. De acordo com o levantamento, de 2012 para 2013, Pet Serv deverá aumentar 24,5%, Pet Food, 4,9%, Pet Care, 5,2% e Pet Vet, 6,7%.

A entidade também apresentou a variação das commodities, grãos que impactam diretamente no preço do alimento completo para animais de estimação. “De 30% a 50% dos alimentos para animais são compostos pelos carboidratos obtidos no arroz, milho ou trigo”, explica o presidente executivo da entidade, José Edson Galvão de França. De janeiro a maio de 2013, essas commodities agropecuárias apresentaram uma variação negativa média de 7,9%.

O levantamento também mostrou que as exportações continuam em alta. De janeiro a abril de 2013, foram exportados quase U$ FOB 74 milhões, contra cerca de U$ FOB 4 milhões importados. Até o final deste ano, o Brasil deverá vender ao mercado externo cerca de U$ FOB 243 milhões, ao passo que as compras devem representar aproximadamente U$ FOB 8 milhões.

Dados 2012
As indústrias de Pet Food, Pet Care, Pet Vet e Pet Serv faturaram em 2012, juntas, R$ 14,2 bilhões, superando a previsão dos R$ 13,8 bilhões. Os Estados Unidos lideram o mercado mundial (30%), seguidos em segundo lugar por Brasil e Japão (8%), Reino Unido (7%), França (6%) e Alemanha (6%).

As vendas de Pet Food continuaram sendo a maior fonte de receita, ocupando 68,5% do faturamento do ano passado, seguidas por Pet Serv, com 16,2%, o maior crescimento do setor, da ordem de 17,29% em comparação a 2011. Pet Care representou 8,3% e Pet Vet, 7,0%. Ano passado, foram criados 224.570 empregos diretos. Apenas em Pet Serv, foram 200 mil. O restante, nas indústrias de Pet Care, Pet Vet e Pet Food. Esse número exclui as vagas geradas por criadouros.

Segundo dados atualizados da entidade, atualmente no Brasil existem aproximadamente 37,1 milhões de cães e 21,3 milhões de gatos. Apesar do crescimento de cães – que em 2011 eram 35,7 milhões, o aumento dos gatos é maior e significa uma alta de 8,19% em relação a 2011. A estatística reflete a procura por esse tipo de animal em grandes cidades, onde a vida em apartamentos poderá requerer pets menores e mais independentes. O crescimento das populações de ambos foi de 5,4%.

O Brasil é a 4ª maior nação do mundo em população total de animais de estimação e a 2ª em cães e gatos. Além deles, existem 26,5 milhões de peixes e 19,1 milhões de aves. Outros animais somam 2,17 milhões, totalizando 106,2 milhões de pets em escala nacional.

Tributos
Para a Abinpet, ainda é necessário combater a imagem do alimento pet – cientificamente adaptado às necessidades dos animais de estimação – como gasto supérfluo. Ainda pesa sobre a indústria a carga tributária, discrepante com outras áreas da produção agropecuária e alimentação. O IPI para produtos pecuários e alimento humano básico é zero, enquanto são cobrados 10% para pet food. Quando somados juntos o IPI, PIS/COFINS e ICMS e 10% de substituição tributária no ICMS, o setor pet tem um ônus total de 49,90%. Os impostos pecuários chegam ao máximo em 15,25%. Na Europa, por exemplo, a carga tributária pet é de 18,5%. Nos Estados Unidos, não passa de 7%.

Fonte: Editora Stilo