Loja de tecidos se mantém no mercado por 87 anos com preço atrativo

O negócio da família de imigrantes libaneses fica na maior rua de comércio popular de São Paulo, a 25 de Março. Os ganhos de escala chegam a 30% de redução dos preços.
A venda de meias mudou a história de três gerações de uma família de imigrantes libaneses. Tudo começou com o tio-avô do Eduardo Ansarah, que era balconista de uma loja de tecidos e montou uma loja especializada em meias.
“Ele percebeu que o nicho que poderia ser explorado é a comercialização de meias. Então ele alugou uma sala e no horário vago trazia a clientela que vendia tecido e complementava levando meias também”, explica Eduardo.
Hoje, Eduardo e a irmã Alessandra cuidam da operação do negócio, que tem outros cinco sócios na família. A loja ocupa um prédio na Rua 25 de março, em São Paulo.
A loja usa uma estratégia comercial: vende mais barato, atrai mais cliente e ganha no volume. Ao mesmo tempo, compra mais barato porque compra em quantidade dos fornecedores. Os ganhos de escala chegam a 30% de redução dos preços.
As equipes dos departamentos de compra e vendas conversam entre si e com o consumidor, checam o que vendeu e não vendeu, e corrigem falhas.
Outra estratégia da nova geração é se atualizar sempre, e diversificar os produtos. Após 87 anos, a loja recebe mil pessoas por dia. A taxa de conversão de vendas aumentou 27%. Hoje vende um milhão de peças por mês.
“É importante ter conhecimento de mercado e ir trabalhando no dia a dia. As dificuldades vão aparecer, vão ter problemas, mas tem que ir lapidando que consegue. É a persistência e a perseverança que faz uma empresa de 87 anos estar funcionando até hoje”, declara Eduardo.
Fonte: https://g1.globo.com/economia/