Indicador de Nível de Atividade da indústria paulista sobe 0,6% em abril, aponta Fiesp

Sensor fica abaixo da linha dos 50 pontos pela 1ª vez no ano e indica recuo da atividade industrial no mês de maio

Cristina Carvalho, Agência Indusnet Fiesp

O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria paulista de transformação subiu 0,6% em abril em relação a março, na série com ajuste sazonal. Já na série sem ajuste, o indicador apresentou avanço de 4,7% no mês e de 0,6% no acumulado do ano. A principal influência para o resultado do INA do mês se deu pelo avanço da variável de vendas reais (0,9%) e das horas trabalhadas pela produção (0,1%). Os salários médios reais e o Nível de Utilização da Capacidade Instalada recuaram -0,2% e -0,5% p.p, respectivamente. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (30/5), pela Federação e pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp).

Para José Ricardo Roriz, 2º vice-presidente da Fiesp e do Ciesp, o baixo desempenho da atividade industrial paulista está carregando a falta de sinalização de avanço nas reformas propostas do governo, como a da Previdência. “A aprovação da reforma da Previdência, seguida da Tributária, é fundamental para o aquecimento da economia e da retomada da atividade da indústria, e nós acreditamos que elas vão acontecer. Mas independentemente desses avanços, é preciso que sejam tomadas ações de curto prazo que façam a economia girar. Nossa visão para o segundo semestre é de otimismo, com a economia obtendo um desempenho melhor nesse período”, disse.

Sensor

A pesquisa Sensor de maio, também produzida pelas entidades, ficou abaixo dos 50 pontos pela 1ª vez no ano ao marcar 47,9 pontos, queda de 2,1 pontos, na leitura com ajuste sazonal, sinalizando recuo da atividade industrial para o mês.

Dos indicadores que compõem o Sensor, a variável de vendas recuou para 51,5 pontos em maio, recuo de 2,9 pontos. Houve recuo também para a variável que capta as condições de mercado, passando a 50,8 pontos no mês de maio. Acima dos 50,0 pontos indica expectativa de melhora das condições de mercado.

Para o indicador de emprego, houve queda de 1,8 ponto em maio para 48,7 pontos. Resultados abaixo dos 50 pontos indicam expectativa de demissão para o mês. O indicador de investimentos recuou 0,5 ponto, passando para 48,6 pontos, indicando queda moderada nos investimentos.

Já o indicador de estoques marcou 37,9 pontos, antes os 46,1 pontos em abril, o que indica que os estoques estão muito acima do nível desejado.

Clique aqui para saber mais.