Confiança do consumidor cai em junho pelo 2º mês seguido, diz pesquisa

Levantamento foi feito pelo Ibope, a pedido da CNI. Queda da confiança em junho é resultado, especialmente, da piora da percepção dos brasileiros sobre o emprego.
O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC) caiu para 1,4 ponto em junho, na comparação com abril, para 47 pontos, informou nesta sexta-feira (28) a Confederação Nacional da Indústria (CNI).
A entidade realizou pesquisa, em parceria com o Ibope, com 2 mil pessoas em todo o país, de 20 a 23 de junho.
Essa foi a segunda queda consecutiva do indicador, que continua acima da média histórica de 46,1 pontos. O INEC varia de zero a cem pontos. Quando está abaixo dos 50 pontos, mostra que consumidores estão sem confiança.
O indicador, segundo a CNI, ajuda a antecipar variações na atividade econômica. Consumidores menos confiantes tendem a diminuir as compras. Com a redução do consumo, aumentam as dificuldades de recuperação da economia.
“A queda da confiança em junho é resultado, especialmente, da piora da percepção dos brasileiros sobre o emprego e o aumento do endividamento das famílias”, avaliou a CNI.
O índice de expectativas em relação ao desemprego, um dos componentes do ICEI, subiu de 54,7 pontos em abril para 56,4 pontos em junho, enquanto o índice de endividamento avançou de 49 pontos para 51 pontos.
Os indicadores variam de zero a cem pontos. Quanto mais acima dos 50 pontos, maior é a expectativa de aumento do desemprego nos próximos seis meses e maior é o nível de o endividamento das famílias.
Por regiões
De acordo com o levantamento, a confiança dos brasileiros é menor entre os moradores da região Nordeste, onde o INEC recuou para 45,3 pontos neste mês. Nas regiões Norte e Centro-Oeste, o índice é de 47,7 pontos, no Sudeste é de 47 pontos, e no Sul, de 49,3 pontos.
“Entre as diferentes faixas etárias, a maior queda do otimismo foi registrada entre as pessoas que têm entre 35 e 44 anos de idade. Nessa faixa da população, o INEC caiu 2,7 pontos entre abril e junho e está em 45,9 pontos”, acrescentou a entidade.
Ainda segundo a CNI, o INEC também recuou para todos os graus de instrução, sobretudo entre aqueles com ensino médio e superior. Entre os que têm ensino superior, a queda foi de 2,1 pontos e o INEC ficou em 47,5 pontos. Com a retração de 1,9 pontos, o INEC ficou em 47 pontos entre os que têm o ensino médio.
Fonte: https://g1.globo.com/economia/