Sondagem da Construção

Edição – maio de 2022

(19/05/2022)

Situação atual

A percepção das construtoras paulistas sobre a atividade atual apresentou relativa estabilidade e seguiu em patamar ligeiramente acima da linha que define otimismo (50,0 pontos). O nível de atividade em relação ao mês anterior variou de 50,4 para 50,6 pontos, enquanto o nível de atividade em relação ao usual teve ligeira queda, de 51,7 para 50,6 pontos.

A evolução do número de empregados, por sua vez, apresentou forte crescimento, de 44,6 para 50,6 pontos. Movimento inverso foi observado na Utilização da Capacidade Operacional, que caiu de 63,0% para 54,5%, igualando com o percentual médio visto nos últimos 24 meses.

Expectativas para os próximos seis meses

Em relação às expectativas das construtoras paulistas para os próximos seis meses, todos os indicadores apresentaram alta em maio. Os valores de nível de atividade e compra de insumos e matérias-primas variaram de 48,3 para 53,0 pontos, enquanto a expectativa de novos empreendimentos e serviços passou de 48,3 para 50,0 pontos, limite inferior do patamar considerado otimista.

Acompanhando a percepção atual sobre a evolução do número de empregados, a expectativa para a mão de obra nos próximos seis meses cresceu quase 20 pontos, de 50,2 em abril para 70,0 pontos em maio. Por fim, a intenção de investimento também variou positivamente, saindo de 41,6 para 56,8 pontos.

As informações são da Sondagem da Construção do Estado de São Paulo, elaborada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) com apoio da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

Série histórica:

_Sondagem da Construção – jan/2014 à abr/2022