imagem google

Vice-presidente da Fiesp destaca reindustrialização em artigo no jornal O Estado de S. Paulo

No texto, José Ricardo Roriz Coelho chama a atenção para a necessidade de remover os entraves estruturais e macroeconômicos à competitividade no Brasil

Agência Indusnet Fiesp

O vice-presidente e diretor titular do Departamento de Competitividade e Tecnologia (Decomtec) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), José Ricardo Roriz Coelho, trata de reindustrialização em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo na sexta-feira (18/10).

No texto “Reindustrialização, um projeto nacional”, Roriz destaca o fato de que “penalizada pela taxa de câmbio persistentemente sobrevalorizada e pelo custo Brasil (…), a indústria de transformação perdeu competitividade nos últimos anos”.

O diretor titular do Decomtec lembra ainda que, superado o debate sobre a desindustrialização, “o aspecto relevante é como inverter esse processo, como reindustrializar o Brasil”. E mais: “A importância de recuperar a participação da indústria é realçada pelas evidências encontradas no estudo da Fiesp ‘Por que Reindustrializar o Brasil?’. A pesquisa mostra que, entre os países mais relevantes em termos de PIB [Produto Interno Bruto] e população (80% do PIB mundial), todos os que conseguiram alcançar renda per capita de US$ 20 mil (PPC a preços constantes de 2005) – nível de entrada para ser considerado um país desenvolvido – apresentavam participação de, no mínimo, 20% da indústria de transformação no PIB”.

Ao finalizar o artigo, Roriz assinala que “para recuperar a competitividade industrial brasileira, é necessário remover os entraves estruturais e macroeconômicos à competitividade, além de compatibilizar a política industrial e tecnológica com a política econômica, unindo-as em política de Estado, num projeto nacional de desenvolvimento econômico, para o qual a Fiesp buscou dar os primeiros passos com a realização do seminário. É fundamental que esse debate esteja presente na campanha eleitoral do ano que vem”.

Para ler o texto na íntegra, só clicar aqui.