imagem google

Vale-Cultura pode beneficiar 42 milhões de trabalhadores, diz Marta Suplicy em reunião na Fiesp

Ministra da Cultura apresentou projeto e explicou como funcionará benefício durante reunião da diretoria da instituição

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Um total de 42 milhões de trabalhadores pode ser beneficiado com a criação do Vale-Cultura. A previsão é da ministra da Cultura, Marta Suplicy, que esteve, nesta segunda-feira (15/07), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), onde apresentou o projeto durante reunião da diretoria da instituição.

“Acredito que o vale influenciará muitas pessoas”, disse a ministra, que foi recebida pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf.

“Prioritariamente a população com até cinco salários mínimos receberá, mensalmente, 50 reais em um cartão magnético pré-pago, cumulativo, válido em todo o Brasil”, informou.

Marta e Skaf: apoio à cultura por meio do vale. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Marta e Skaf: novo vale vai apoiar cultura e influenciar trabalhadores. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


De acordo com a ministra, o objetivo do projeto é garantir meios de acesso e participação nas diversas atividades culturais desenvolvidas no Brasil. “Com o vale, as pessoas poderão ter mais acesso a programas culturais, ir mais ao teatro, ao cinema, ler mais livros.”

Para Marta, o projeto também tem o papel de fomentar a produção cultural no Brasil, especialmente em cidades pequenas.

“O Vale-Cultura foi durante muito tempo estudado para entrar em vigor e agora estamos perto de vê-lo em funcionamento. Ao todo, 42 milhões de trabalhadores poderão ser beneficiados, sendo que 51,4% são da região sudeste”.

Segundo a ministra, a presidente Dilma Rousseff deverá assinar o decreto nas próximas semanas. “Após a assinatura, haverá a elaboração das regras de funcionamento. Depois disso, a campanha de adesão, pela TV, e o credenciamento dos operadores e recebedores. Por fim, a distribuição do vale, que se dará a partir do segundo semestre deste ano”, explicou Marta.

“As empresas têm que ver esse vale com um investimento humano voltado para a ampliação da cultura e do conhecimento. Espero contar com a adesão de todos os representantes das indústrias do estado de São Paulo”, concluiu a ministra.

As empresas que aderirem também serão beneficiadas com o vale, de acordo com a ministra. “As empresas cadastradas recebem um incentivo fiscal do governo, podendo deduzir o valor despendido com o Vale-Cultura do imposto de renda”.

“A criação do vale tem dois objetivos: fortalecer o mercado consumidor de bens e serviços criativos e contribuir para a formação de cidadãos apreciadores e consumidores de cultura”, finalizou Marta.

Logo após a explanação da ministra, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, enfatizou a importância da questão. “A cultura é um tema de muita importância. É fundamental para o crescimento do nosso povo”, comentou.