imagem google

Tarifa de energia: segundo Dilma, redução poderá ser ainda maior que a anunciada

Presidente afirma que percentuais poderão ser ampliados depois que a Aneel concluir estudo sobre os contratos de distribuição de energia

Agência Indusnet Fiesp, com informações do Blog do Planalto

Imagem relacionada a matéria - Id: 1594466956

Dilma Rousseff anunciou redução de 16,2, em média, para os consumidores, e de até 28% para a indústria. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Na cerimônia em que o governo anunciou a redução na tarifa de energia para consumidores residenciais e industriais, nesta terça-feira (11/09), a presidente da República, Dilma Rousseff, afirmou que a baixa nas contas poderá ser ainda maior que os percentuais já anunciados.

Os números anunciados são de uma redução média de 16,2% para os consumidores residenciais terão e de até 28% para as indústrias. De acordo com Dilma, a redução na tarifa poderá ser ampliada depois que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) finalizar o  estudo sobre os contratos de distribuição de energia.

“A partir do início de 2013, os consumidores residenciais vão ter sua conta de luz reduzida em 16,2% e os industriais, entre 19% e 28%. Essa reduções que eu me referi poderão ser ainda maiores quando a Aneel concluir os estudos, em março, e apresentá-los numericamente no que diz respeito aos contratos de distribuição que vencerão entre 2016 e 2017”, disse.

A presidente afirmou que governo vai antecipar a renovação das concessões das empresas de geração de transmissão e distribuição de energia que venceriam até 2017 e assim assegurar, já em 2013, uma redução de custos.

Segundo ela, a renovação permitirá retorno para o consumidor dos investimentos que foram financiados por ele. E as concessionárias, de acordo com a presidente, ao serem indenizadas pelos investimentos ainda não amortizados, vão dispor de um capital livre que lhes permitirá condições muito melhores de investimento.

“Em suma, a renovação das concessões de geração, de transmissão e distribuição, nos termos que estamos fazendo, beneficia a todos sem exceção. E as tarifas de energia vão diminuir, também, graças à decisão do governo de reduzir os encargos que hoje incidem sobre a conta de luz de todos os brasileiros, e também, por aportes que o Tesouro Nacional fará ao sistema para financiar políticas de atendimento a parcelas específicas da população mais carente”, afirmou.

Veja o pronunciamento na íntegra