imagem google

Sondagem da Construção do Estado de São Paulo mostra nova contração na atividade do setor

Levantamento da Fiesp mostra também aumento do pessimismo entre os empresários

Agência Indusnet Fiesp

O nível de atividade do setor de construção de São Paulo registrou em setembro nova queda. O indicador passou de 41,8 para 37,1 pontos, permanecendo abaixo da linha de estabilidade (50,0 pontos) e sinalizando contração.

No que se refere à mensuração da atividade em relação ao usual, o indicador também apresentou baixa, de 27,6 pontos para 25,1.

O número de empregados do setor caiu. O indicador passou de 39,2 pontos em agosto para 36,9 pontos em setembro, ainda bem abaixo da média histórica. Os dados, divulgados nesta terça-feira (25/10), são da Sondagem da Construção do Estado de São Paulo, realizada pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp.

Com relação à Utilização da Capacidade Operação (UCO), houve queda em setembro, para 56,0%, frente a 61,0% em agosto.

Os resultados da sondagem sinalizam que o pessimismo dos empresários da construção voltou a subir. O índice de atividade para os próximos seis meses chegou a 39,9 pontos em setembro, inferior aos 46,1 pontos de agosto. E as expectativas para compras de matérias-primas apresentaram forte queda (de 43,5 para 38,1 pontos).

As expectativas para empreendimentos e serviços passaram de 42,0 para 39,8 pontos. E nas perspectivas quanto ao número de empregados, o índice de setembro atingiu 42,4 pontos, ante 43,0 pontos em agosto. Já as perspectivas de investimento melhoraram, comparadas à leitura anterior, passando de 24,5 para 27,4 pontos, mas ainda apontam contração, por estar abaixo dos 50,0 pontos.