imagem google

Skaf inaugura Indústria do Conhecimento em Mauá, nesta quarta-feira, 17

Espaço multimídia tem por meta apoiar a educação, promover a inclusão digital e facilitar o acesso a leitura

O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp), Paulo Skaf, inaugura nesta quarta-feira (17), às 14h, a

Indústria do Conhecimento do Sesi Mauá

. A prefeitura municipal é parceira da iniciativa.

O espaço multimídia tem por objetivo apoiar a educação, promover a inclusão digital e facilitar o acesso da comunidade à leitura.

“O Brasil precisa de pesquisas e desenvolvimento tecnológico para ser mais competitivo. A chave para alcançarmos essa meta é investir em educação de qualidade e iniciativas de promoção cultural”, defende Skaf.

A Industrial do Conhecimento é equipada com nove computadores com acesso à Internet e seu acervo é formado por 1.990 quadrinhos e 1.500 livros, incluindo romances obras infantis e juvenis e volumes para pesquisas.

O local é aberto ao público em geral e oferece o sistema de empréstimo de obras, com possibilidade de retirada de até dois exemplares por leitor no período de 14 dias, podendo o pedido ser renovado. A estimativa é atender até 2.000 pessoas por mês, sendo 1.200 apenas para a inclusão digital.


Programação



À parte a biblioteca, o espaço contará com várias atividades de difusão cultural, entre elas sarau musical, rodas de leitura e oficinas, para dominar a tecnologia digital por meio do programa Aprende a Clicar.

O curso, via CD Rom, tem duração de 15 dias, com aulas de 60 minutos para até nove alunos. Diariamente, serão oferecidas duas turmas.


Âmbito Nacional

A iniciativa é uma parceria entre o Sesi Nacional e o Ministério da Educação (MEC). O projeto foi criado em 2006 e surgiu após a constatação de que o baixo índice de leitura no Brasil é reflexo da deficiência de acervo das bibliotecas escolares e públicas e da dificuldade de acesso à Internet.

Segundo pesquisa do Instituto Pró-Livro e do Ibope, divulgada no ano passado, o brasileiro lê em média 4,7 livros por ano. O baixo índice é acompanhado por um desdobramento ainda mais alarmante: desse total, 3,7 livros são indicados na escola, sendo apenas 1,3 o corresponde à leitura efetivamente voluntária.

A pesquisa também revela que 75% dos brasileiros não utilizam bibliotecas e apenas entre 18% e 23% dos que se consideram leitores têm referencias de seus pais ou mães como adeptos desse hábito.

O estudo revela que a frequência da leitura está diretamente relacionada ao acesso às obras e ao incentivo de diferentes “atores” educacionais, como pais e professores.

A meta do Sesi Nacional é inaugurar 230 módulos em todo o País até 2015.