imagem google

+ Saúde: na avenida Paulista, orientação sobre Alzheimer, seus efeitos e como prevenir seu avanço

Entre as atividades, jogos e dinâmicas que fizeram o público exercitar a memorização, além de rodada de perguntas com especialistas para dirimir dúvidas

Mariana Soares, Agência Indusnet Fiesp

O Alzheimer é o principal motivo de demência entre os idosos. No mundo, surge um novo caso a cada 3 segundos e a tendência é que em 2050 seja registrada uma nova notificação a cada segundo. Atualmente, são 100 mil novas ocorrências da doença por ano, no Brasil. Com o objetivo de facilitar o acesso ao diagnóstico precoce da doença, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) realizou, nesta sexta-feira (26/4), mais uma edição do + Saúde.

Com essa iniciativa, quem esteve transitando pela avenida Paulista, pode obter informações sobre a doença, além de conhecer estratégias de memorização por meio de exercícios. A doença de Alzheimer é uma enfermidade incurável que se agrava ao longo do tempo, mas pode e deve ser tratada. Entre suas consequências, demência, ou perda de funções cognitivas (memória, orientação, atenção e linguagem), causada pela morte de células cerebrais.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz) – Regional São Paulo, Jean Pierre de Alencar, quando diagnosticado em seu início, é possível retardar o avanço do Alzheimer e ter mais controle sobre os sintomas, garantindo melhor qualidade de vida ao paciente e à família. A doença de Alzheimer é crônica. Podem ocorrer perda de memória, desorientação no tempo e no espaço, dificuldade no aprendizado e quanto ao pensamento abstrato, incapacidade de realizar cálculos simples, distúrbios da linguagem, da comunicação e da capacidade de realizar as tarefas cotidianas, segundo explicações dadas por Alencar.

Entre as atividades realizadas nesta ação, a realização de jogos e dinâmicas para que o público pudesse aprender e exercitar estratégias de memorização, rodada de perguntas “tudo o que queria saber sobre Doença de Alzheimer e nunca pôde perguntar” e a atuação de equipe profissional especializada.

A coordenadora executiva do Comitê da Cadeia Produtiva da Saúde e Biotecnologia (ComSaude) da Fiesp, Gabriela Gazola, reforça que ações como esta integram a missão da entidade. “Realizar parcerias com instituições que são referência na pesquisa e no acompanhamento das doenças é uma estratégia importante para consolidar uma rede de apoio à sociedade. Ficamos muito honrados em conseguir prestar esse serviço de orientação para a prevenção de doenças e, consequentemente, ajudar as pessoas a terem uma qualidade de vida melhor”, relata.

A aposentada Ida Taira, de 66 anos, agradeceu a possibilidade de conhecer os sintomas do Alzheimer e as estratégias para ter uma vida mais saudável. “Agora eu já sei que a prática da atividade física, aprender coisas novas, como um idioma e um hobby, vão me ajudar a exercitar sempre a minha mente”, explica.

O +Saúde é uma iniciativa da Fiesp que, com o apoio de parceiros, promove a informação como forma de prevenção de riscos à saúde. A próxima edição do +Saúde será no dia 5 de maio, das 10h às 16h, na calçada da Fiesp e terá a Osteoporose como tema.

Mais informações, consulte a ABRAz.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1563502929

Quem transitou pela avenida Paulista pode se informar sobre o Alzheimer, em evento do + Saúde da Fiesp. Foto: Everton Amaro/Fiesp