imagem google

‘São Paulo tem toda a condição de abrigar a Expo 2020’, afirma Fernando Haddad na Fiesp

Na sede da entidade, prefeito apresentou potencial da cidade para delegados do Bureau Internacional de Exposições, organismo que avalia as candidaturas

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

O prefeito da cidade de São Paulo, Fernando Haddad, participou na manhã desta segunda-feira (11/03), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), da primeira missão de inspeção do comitê do Bureau Internacional de Exposições (BIE), organismo que em novembro irá escolher a cidade-sede da Exposição Universal de 2020 (Expo 2020).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1606212395

Prefeito Fernando Haddad fala das razões para a cidade de São Paulo ser a escolhida. Foto: Airton Vignola

Confiante, Haddad acredita que a visita da comitiva do BIE é muito salutar para esclarecer dúvidas e para comprovar viabilidade do plano de negócio apresentado pela cidade.

“A delegação vai perceber que se trata de um projeto que faz sentido. São Paulo é uma cidade cosmopolita e que tem toda a condição de abrigar a Exposição Universal, não apenas pela sua infraestrutura, mas pela sua cultura. Uma cultura voltada para abertura, para acolhimento, para receber, para intercambiar”, afirmou o prefeito de São Paulo.

O evento teve a participação do secretário estadual de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Julio Semeghini. O segundo vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, representou a entidade.

Visita a Pirituba

Realizada de cinco em cinco anos, a Expo é considerada o terceiro maior evento mundial em termos de capacidade de fomento do desenvolvimento social e econômico – atrás apenas dos Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Espera-se que a edição de 2020 reúna cerca de 30 milhões de visitantes ao longo de seis meses.

Nos trabalhos que prosseguem até quinta-feira (14/03), a comitiva do BIE tem a missão de analisar o projeto paulistano para sediar a Expo 2020. Está programada uma visita dos delegados ao local onde será construído o centro de exposição, no bairro de Pirituba.

Na quarta-feira (13/03), o grupo tem viagem marcada para Brasília (DF), onde serão recebidos pela presidente Dilma Rousseff.

Segundo o prefeito de São Paulo, os custos do novo centro de exposição – estimado em US$ 3 bilhões – deverão ser autofinanciáveis. No seu entendimento, a construção deste novo ambiente vai trazer desenvolvimento para região noroeste da cidade.

“Isso [candidatura] está coroando um processo de melhoria dos indicadores ambientais, sociais, de distribuição de renda e assim por diante. Neste contexto que nós queremos acolher a exposição”, completou.

A escolha do país-sede acontecerá em novembro de 2013. As outras candidatas a sediar a Expo 2020 são Ayutthaya (Tailândia), Dubai (Emirados Árabes Unidos), Esmirna (Turquia) e Iekaterimburgo (Rússia).

Participação da Fiesp 

Imagem relacionada a matéria - Id: 1606212395

Fernando Haddad e João Guilherme Sabino Ometto: reunião com delegados do BIE. Foto: Ayrton Vignola

A candidatura de São Paulo conta com o apoio da Fiesp. Em maio de 2012, o presidente da entidade, Paulo Skaf, recebeu Locertales e o acompanhou em visita à Brasília para um encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer, e o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota.

Na ocasião, Temer anunciou o seu apoio à candidatura de São Paulo para sediar a Expo 2020.

Além disso, o presidente da Fiesp integrou a comitiva brasileira que, defendeu, em Paris, a candidatura de São Paulo.

No início de outubro de 2012, a Fiesp assinou acordo de cooperação técnica com a prefeitura de São Paulo para a Expo 2020. O documento reforça o compromisso da federação em desenvolver ações, como a elaboração de estudos e projetos relacionados a candidatura da cidade para o Expo 2020.

Sobre o Expo 2020

Criado em 1851, a Exposição Universal promove a troca de experiência entre dezenas de países, sobre temas importantes como: sustentabilidade, inovação tecnologia, cultura e urbanismos.

A exposição deixou legados importantes em diferentes áreas de conhecimento, como por exemplo, a construção de dois marcos da arquitetura: a Torre Eiffel, em Paris, e o edifício Atomium, em Bruxelas, na Bélgica. O telefone, por exemplo, teve sua primeira aparição pública na edição de 1876, na Filadélfia (EUA). A última edição foi realizada em Xangai, em 2010, alcançando 73 milhões de visitantes e a participação de 190 países.