imagem google

São Paulo Skills: clima de estudo e trabalho inspira competidores e visitantes no Anhembi

Torneio da educação profissional organizado pelo Senai-SP atrai curiosos e alunos da instituição de todas as partes do país. Evento segue até o domingo (29/09)

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Maior competição da educação profissional do estado, o São Paulo Skills vai muito além da disputa em si. Realizado no Anhembi, na capital paulista, numa iniciativa do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), o evento mobiliza professores, avaliadores, coordenadores, alunos que podem ou não estar participando de algumas das provas. Pelos corredores do espaço de exposições, o que se vê são olhares curiosos por todos os lados. E um clima de estudo e trabalho que inspira qualquer um.

“É muito emocionante participar do SP Skills”, contou Jéssica Bardelli, de 19 anos, participante do torneio na categoria tecnologia de moda. “Fica muita gente olhando e falando ao redor, mas não podemos perder a atenção, até porque isso também conta pontos”, explicou ela, aluna da escola Senai “Engenheiro Adriano José Marchini”, no Brás, em São Paulo.

Coordenadora da modalidade, Bárbara Viana explicou que a competição envolve a montagem e a criação de peças a partir de temas. Nesta sexta-feira (27/09), por exemplo, a temática era criar a partir da moda dos anos 1950 e do estilo da grife Christian Dior.

Atentos à prova, Milayne Bonifácio e Luidi Augusto Silva, ambos de 16 anos e estudantes da escola Senai “Luis Varga”, em Limeira, no interior paulista, se disseram impressionados com a estrutura do SP Skills. “Viemos para conhecer o evento, é muito interessante ver os alunos competindo”, disse ela. “Gostei muito do que vi”, completou Luidi.

Alunos do Senai-SP em prova do SP Skills no Anhembi: referência para todo o país. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

Alunos do Senai-SP em prova do SP Skills no Anhembi: referência para todo o país. Foto: Beto Moussalli/Fiesp


Não muito longe dali, no espaço dedicado à manutenção aeronáutica, Fabrício Rocha, de 19 anos, estudante da escola Senai “Antonio Adolpho Lobbe”, em São Carlos (SP), era outro competidor que tentava se concentrar nas provas. Até porque ele sabe que, no SP Skills e ao longo de sua vida profissional cuidando de aviões, erros não são permitidos. “Não posso errar”, disse. “Principalmente na hora de consertar os motores”.

A postos para orientar os participantes da disputa, o coordenador da modalidade, Marcos Antônio Escareli, explicou que os três jovens que disputam o primeiro lugar em manutenção aeronáutica são da mesma escola, o que facilitou os treinamentos. “No último mês de preparação para as provas, eles treinaram 14 horas por dia”, contou. “Tem muita gente talentosa aqui a caminho de um mercado que está em expansão no Brasil”.

Quem quer ser torneiro?

Entre todos os setores, o de tornearia era um dos que mais atraíam a curiosidade do público, com muita gente parada ao redor observando as provas. Estudante do Senai “Roservarte Alves de Souza”, no Distrito Federal, Wellington Conceição Dourado, de 19 anos, era um desses observadores atentos. Na disputa por uma vaga na competição nacional, em 2014, em Belo Horizonte, ele fez questão de vir a São Paulo para acompanhar o desempenho dos colegas paulistas. “O SP Skills é um evento importante”, disse. “Os participantes de São Paulo são aqueles a serem vencidos, são referência para todo o país”.

Coordenador da modalidade tornearia, Emerson de Souza explicou que todos os jovens participantes da área têm “nível alto” e um ritmo de trabalho “muito bom”.

Segundo ele, a curiosidade em torno do segmento aumentou depois que um ex-aluno do Senai-SP com essa formação, Luiz Inácio Lula da Silva, chegou à presidência. “Isso trouxe muita visibilidade para a carreira”, disse.

Aos leigos, na explicação mais simplificada possível, de acordo com Souza, um torneiro é alguém que trabalha transformando matéria-prima de qualquer formado em material cilíndrico para uso na indústria.

Disputa apertada

Área afim, a tornearia CNC também atraiu um público interessado. “O nível das provas está alto”, explicou o avaliador André Oliveira. “Estão saindo peças de muita qualidade, a seleção do vencedor vai ser apertada, por detalhes”.

Circulando com um grupo de amigas no corredor ao lado da tornearia CNC, a estudante Amanda Hidemi Miyabara, de 18 anos, da escola Senai Mercedes Benz, em São Bernardo do Campo, resumiu o clima geral no Anhembi nesta sexta-feira (27/09). “Dá muita vontade de participar”.

O SP Skills segue até o domingo (29/09) no Anhembi. A competição reúne alunos de 19 áreas tecnológicas, vindos de 83 unidades escolares da rede Senai-SP. Ao todo, são 726 competidores, 254 avaliadores e 116 coordenadores de modalidades, só para citar alguns números.