imagem google

Safra brasileira registra recorde em volume e produtividade

Dados do Rally da Safra 2011 apontam crescimento histórico na produção de soja em praticamente em todos os estados do País

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1600637760

André Pessôa, coordenador geral do Rally e diretor do Agroconsult

O bom desempenho das lavouras de soja precoce no Centro-Oeste e a alta produtividade dos estados do Paraná e Rio Grande do Sul contribuíram para o crescimento recorde da produção do grão acima de 50 sacas por hectare. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (29) pela Agroconsult, na sede da Fiesp, durante a apresentação dos resultados do Rally da Safra 2011.

A expedição técnica percorreu 55 mil quilômetros e avaliou lavouras de soja e milho de 11 estados, entre os dias 31 de janeiro e 27 de março de 2011. Destaque da safra 2010/2011, a soja alcançou 72,7 milhões de toneladas, contra 68,9 milhões da última colheita. Já a produção de milho chegou a 34,8 milhões de toneladas, ultrapassando os 34 milhões registrados na safra passada.

Segundo André Pessôa, coordenador geral do Rally e diretor do Agroconsult, o Paraná registrou a melhor produtividade de soja de todo o País, com 54 sacas por hectares.

O excesso de chuvas e o atraso no plantio dos grãos causaram a queda da produtividade dos estados do Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. “Mesmo não tendo sido verificado recorde da produtividade nesses estados, ainda sim é uma safra rentável, entre as mais rentáveis já registradas”, analisou Pessôa.

O coordenador mostrou otimismo com os resultados parciais das colheitas do Piauí, Tocantins, Bahia e Maranhão, cuja previsão é de crescimento da produção de soja de 44 sacas/ha para 51 sacas/ha.

Transgênicos

O investimento em sementes de grãos geneticamente modificados cresceu na última safra. Segundo dados do Rally, a média de área plantada de soja no Brasil passou de 72% (2009/201) para 86% (2010/2011). No mesmo período, o milho verão aumentou de 45% para 83% do plantio das lavouras avaliadas. Já os indices de pós-colheita foi de 4%, equivalente a duas sacas de soja por hectare.