imagem google

Retrospectiva 2012 – Na área internacional, Fiesp assume papel importante nas negociações entre Brasil e Argentina

Presidente Paulo Skaf realizou série de encontros com autoridades argentinas para encontrar solução amigável entre os países, ações que ganharam destaque nos órgãos de imprensa dos dois lados

Agência Indusnet Fiesp

Paulo Skaf e Guillermo Moreno, secretário de Comércio Interior da Argentina. Foto: Junior Ruiz

Paulo Skaf e Guillermo Moreno, secretário de Comércio Interior da Argentina. Foto: Junior Ruiz

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) liderou em 2012 uma aproximação comercial entre Brasil e Argentina, especialmente depois que o país vizinho passou a adotar restrições comerciais a produtos importados, inclusive os brasileiro.

As ações incluíram desde missões empresariais, seminários e rodadas de negócios, realizadas na sede na entidade, até encontros do presidente Paulo Skaf com autoridades argentinas.

Veja um resumo de algumas das principais ações e desdobramentos.

As reuniões tiveram início com o anúncio das barreiras comerciais impostas pela Argentina, em 1º de fevereiro, quando o país passou a exigir informações prévias sobre todas as importações de bens para consumo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1576504810

Brasileiros e argentinos reúnem-se na Fiesp para discutir saídas para comércio bilateral

Preocupado com o impacto que o anúncio causaria na indústria nacional, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, convocou líderes empresariais e entidades representativas para discutir as novas barreiras impostas pela Argentina.

As novas medidas argentinas levaram Skaf a cumprir uma agenda em Buenos Aires, em fevereiro, com o objetivo de encontrar soluções para as dificuldades no comércio entre o Brasil e a Argentina – um levantamento da Fiesp apontou que cerca de 74% das exportações brasileiras para o país vizinho poderiam ser afetadas.

Skaf visita empresa de autopeças acompanhado pela ministra de Indústria da Argentina, Débora Giorgi

Skaf visita empresa de autopeças acompanhado pela ministra de Indústria da Argentina, Débora Giorgi. Foto: Junior Ruiz

A agenda incluiu um encontro com o ministro de Economia da Argentina, Hernan Lorenzino, e a ministra de Indústria, Débora Giorgi, além dos secretários de Comercio Exterior, Beatriz Pagliari, e de Comércio Interior, Guillermo Moreno. Durante a visita a Buenos Aires, Skaf propôs a aproximação entre setores automobilístico e de autopeças do Brasil e Argentina e anunciou a realização de evento com empresários brasileiros e argentinos para avaliar novas oportunidades de investimentos.

Um estudo feito pelo Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp, em fevereiro, mostrou que a corrente de comércio entre Brasil e Argentina bateu recorde de US$ 39,6 bi em 2011, sendo que o automóvel foi o produto brasileiro com maior participação no mercado argentino. O saldo foi positivo para o Brasil, que apresentou superávit de US$ 5,8 bilhões.

Paulo Skaf (à esq.) e o embaixador argentino Luis Maria Kreckler falam à imprensa após encontro na Fiesp. Foto: Junior Ruiz

Paulo Skaf (à esq.) e o embaixador argentino Luis Maria Kreckler. Foto: Junior Ruiz

Com o objetivo de equilibrar o comércio entre a Argentina e o Brasil, Paulo Skaf recebeu na Fiesp, em 13/02, o novo embaixador argentino no país, Luis Maria Kreckler, para planejar um encontro entre os países membros do Mercosul em abril, cujo assunto principal seria a expansão de investimentos comerciais entre as nações. A reunião serviu para reduzir a tensão comercial entre os dois países e reforçar o papel de Skaf na condução das negociações. O presidente da Fiesp deu “voto de confiança” ao país vizinho.

Na ocasião, órgãos de imprensa dos dois países destacaram a atuação de Skaf para encontrar uma solução amigável depois que o país vizinho passou a adotar restrições comerciais para produtos importados. O diário Clarín, um dos mais importantes da Argentina, informou que ficou claro que o governo de Cristina Kirchner “decidiu dar um papel de protagonista à entidade industrial paulista”.

Contudo, pesquisa inédita da Fiesp revelou, em março, que diversos setores industriais do Brasil foram prejudicados pelas barreiras impostas pela Argentina, causando queda nas exportações brasileiras ao país vizinho.

Em maio, o Derex da Fiesp divulgou uma pesquisa com empresas brasileiras importadoras dos 38 produtos identificados pelo governo argentino como prioritários para o aumento de vendas ao Brasil. A pesquisa mapeou a visão dos empresários sobre a possibilidade de ampliar importações do país vizinho e apontou os produtos com maior potencial de negócios, além de provar que muitos empresários brasileiros têm pouco conhecimento de fornecedores argentinos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1576504810

Paulo Skaf recebe o secretário do Interior da Argentina, Guilhermo Moreno, e o embaixador da Argentina no Brasil, Luis Maria Kreckler. Foto: Junior Ruiz

A fim de estimular uma agenda positiva, a Fiesp promoveu, em seguida, uma Rodada de Negócios Brasil-Argentina, com representantes de 330 empresas argentinas e 270 indústrias brasileiras. No encerramento do evento, Paulo Skaf destacou que brasileiros e argentinos desejam maior proximidade.

Em setembro, a Fiesp recebeu pela segunda vez, em menos de quatro meses, o secretário de Estado do Comércio Interno argentino, Guillermo Moreno, que desembarcou em São Paulo com uma comitiva de 100 empresários argentinos do setor de autopeças e acessórios automotivos. Eles tiveram encontros com outros 100 empresários brasileiros. Após a rodada de negócios, Paulo Skaf afirmou, em entrevista coletiva, que o esforço da Fiesp visa aproximar empresas brasileiras e argentinas. Já Moreno disse que os negócios em moeda local seriam um avanço importante no comércio entre os dois países.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1576504810

Julio de Vido e Paulo Skaf. Foto: Junior Ruiz

Poucos dias depois, Skaf recebeu, na sede da Fiesp,  o ministro do Planejamento e Investimento Público da Argentina, Julio de Vido, que apontou  as oportunidades de investimentos brasileiros em seu país, particularmente, no setor energético.

Após nova rodada de negócios entre os dois países, promovida na Fiesp, em novembro, e dessa vez com foco no setor farmacêutico, Paulo Skaf reiterou a importância de Brasil e Argentina estabelecerem uma agenda positiva em comum.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1576504810

Paulo Skaf participa da 18ª Conferência Industrial Argentina. Foto: Junior Ruiz

Ainda em novembro, o presidente da Fiesp foi a Los Cardales, a 60 quilômetros de Buenos Aires, para acompanhar de perto a 18ª Conferência Industrial Argentina – evento que contou com a presença das presidentes Dilma Rousseff e Cristina Kirchner. E, no dia seguinte, participou do seminário Capitalismo nacional e integração regional, organizado pelo governo argentino na Grande Buenos Aires.

Paulo Skaf recebe o governador da Província de Buenos Aires, Daniel Scioli. Foto: Junior Ruiz

Skaf e Scioli conferem a iluminação especial da fachada do prédio da Fiesp: bandeira argentina. Foto: Junior Ruiz

Para encerrar o ano, Paulo Skaf recebeu, na sede da Fiesp, no início de dezembro, o governador da Província de Buenos Aires, Daniel Scioli. O visitante chegou com comitiva para reuniões com empresas brasileiras. Ao final da visita, Skaf convidou a todos para ver a Galeria de Arte Digital exposta na fachada do prédio da entidade, onde, em homenagem à comitiva, acenderam-se milhares de luzes reproduzindo a bandeira argentina.