imagem google

Reformas da Previdência e Tributária são fundamentais para garantir previsibilidade e competitividade, alertam empresários europeus

Urgência da aprovação das duas pautas foi destacada por empreendedores e estudiosos durante evento sobre parceria econômica e comercial entre Brasil e União Europeia

Mayara Moraes, Agência Indusnet Fiesp

A fim de conhecer as experiências dos empresários europeus que têm investido no Brasil nos últimos anos, assim como as expectativas que esses empreendedores sustentam em relação ao futuro dos seus negócios no País, a Fiesp e o Ciesp promoveram nesta segunda-feira (6/5) o Seminário União Europeia: Investimentos, Comércio e Perspectivas.

Realizado às vésperas das celebrações do Dia da Europa, o evento contou com a parceria dos Cônsules Gerais da União Europeia em São Paulo e abordou a reflexão sobre o status do Brasil em meio ao turbilhão de mudanças ocorridas no campo político e prometidas no campo econômico, bem como as consequências dessas transformações para a relação comercial entre o País e o bloco europeu.

Normas que se contradizem e causam insegurança jurídica, crises econômicas, escândalos de corrupção que minam o desenvolvimento de setores estratégicos e a ausência de uma política tributária eficaz foram alguns dos principais obstáculos indicados pelo diretor-presidente da EGIS Brasil, Jean-Emmanuel Seixas; pelo CEO da MAPFRE Seguros, Luis Gutierres; e pelo Diretor de Assuntos Governamentais da Scania, Gustavo Bonini, que participaram do debate.

“O Brasil tem um papel de liderança muito grande e precisa tomar as medidas necessárias para garantir o desenvolvimento nacional e regional”, disse Bonini. “Para garantir que os investimentos continuem sendo feitos, precisamos garantir previsibilidade e competitividade, e para isso, reformas são fundamentais”, assinalou o executivo.

Para Jean-Emmanuel Seixas, é visível que o Brasil está começando a recuperar sua credibilidade, graças, em grande parte, à agenda econômica proposta pelo novo governo, mas demonstrações de sua aplicabilidade precisam ser feitas. “Sem dúvida, a reforma da Previdência e a reforma Tributária seriam marcos fundamentais”, indicou.

O Secretário Especial da Receita Federal, Marcos Cintra, acrescentou que o Brasil está na mira dos grandes grupos internacionais, mas todos aguardam que alguns empecilhos que comprometem os investimentos, como a falta de uma política tributária, sejam exterminados para que a economia volte a fluir.

“A harmonização tributária entre Brasil e outros países é fundamental, por isso, estamos propondo um tripé para essa reforma: a desoneração da folha de salário, com a eliminação dos 20% de contribuição patronal para todo o setor produtivo, a criação de um imposto único federal, que congregará todos os impostos de características fiscais que oneram o crédito, como PIS, COFINS, IPI e IOF, e a reforma do Imposto de Renda, que compatibilizará o imposto sobre corporações ao modelo usado no mundo inteiro, diminuindo as alíquotas das pessoas físicas e das pessoas jurídicas sem a necessidade de compensações com arrecadações adicionais”, explicou o secretário.

Com a aprovação das reformas, primeiro a da Previdência, e depois a Tributária, o Brasil dará sinais concretos de comprometimento com a instalação de um ambiente de negócios próspero. Segundo os especialistas, apenas dessa maneira o país logrará uma aproximação com a Europa e a execução de uma política externa alinhada com os países do continente.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1563253653

Seminário da União Europeia-Brasil. Investimentos, comércio e perspectivas. Foto: Karim Kahn/Fiesp