imagem google

Rede Senai de Energia oferece consultoria de eficiência energética em 12 estados do país

Em São Paulo, núcleos tecnológicos de energia nas unidades de Pirituba (zona norte da capital), Sertãozinho e Indaiatuba oferecem treinamento e preparam equipes para realizar diagnósticos de consumo energético nas empresas

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1620694011

Lucas Albuquerque, do Núcleo Tecnológico de Energia do Senai de Pirituba: “Faz parte da nossa missão não só promover o treinamento, mas promover o processo de melhoria contínua e a conscientização do bom uso dos recursos energéticos e eficiência energética”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Um grupo de especialistas em energia do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) visita fábricas do país para avaliar o consumo de energia e propor medidas de eficiência energética. Em São Paulo, ao menos três núcleos especializados em tecnologias energéticas realizam um trabalho de consultoria junto às empresas no estado.

A Rede Senai Energia atua em 12 estados brasileiros por meio de engenheiros e técnicos que fazem um diagnóstico dos desafios de consumo energético. Em São Paulo, pelo menos três núcleos de tecnologia energética atuam nas cidades de Indaiatuba, Sertãozinho e São Paulo (no Centro de Treinamento Jorge Mahfuz, em Pirituba, zona norte da capital).

O especialista Lucas Albuquerque, do Núcleo Tecnológico de Energia da unidade em Pirituba, apresentou na tarde desta segunda-feira (06/09), durante o III Fórum Internacional de Energia do Senai-SP, algumas iniciativas de eficiência energética da instituição que foram bem sucedidos em indústrias paulistas.

Em um dos casos, o grupo do Centro de Treinamento Jorge Mahfuz ajudou uma indústria a economizar até R$ 190 mil por ano em consumo de energia apenas com a troca do sistema de iluminação.

“Trata-se de uma economia de 50% e o valor investido no projeto [R$300 mil] demorou até um ano e meio para retornar ao cofre da empresa”, contou Albuquerque, em sua palestra.

Em outro caso, a equipe de Lucas Albuquerque auxiliou outro fabricante na troca de motores antigos de baixo rendimento por novos equipamentos de alto rendimento. A substituição resultou em uma economia anual de R$ 270 mil no consumo de energia, com um tempo médio de retorno do volume investido, o equivalente a R$ 180 mil, de seis meses.

“Faz parte da nossa missão não só promover o treinamento, mas promover o processo de melhoria contínua e a conscientização do bom uso dos recursos energéticos e eficiência energética”, afirmou o engenheiro.

Albuquerque ponderou, no entanto, que não adianta o Senai-SP entregar um diagnóstico do consumo energético da empresa e propor um modelo de eficiência energética se não houver um gestor encarregado de colocar as medidas em prática.

“A gente identifica uma pessoa que vai ser o dono daquele projeto, o responsável por implementar as ações de eficiência energética.”

Nessa missão de estimular o consumo energético eficiente, a Rede Senai Energia já auxiliou empresas como a TAM, a incorporadora Brookfield, o Sebrae, a Universidade de São Paulo (USP) e a Suzano Papel e Celulose.

>> III Fórum Internacional de Energia do Senai-SP discute eficiência energética