imagem google

Recriação da CPMF, ou coisa parecida

Fiesp é contra a volta do tributo da saúde e lembra que menos impostos significa menos informalidade, mais crescimento e geração de novos empregos

Nota oficial

“A nossa posição é conhecida, somos contrários à criação e/ou aumento de qualquer imposto. A sociedade brasileira não aceita elevação da carga tributária. Ao contrário, quer a sua redução e o constante aumento de qualidade nos serviços públicos. Nesse sentido, o que todos esperamos é que, logo nos primeiros meses do novo Governo, sejam promovidas as necessárias reformas, entre elas a tributária – com simplificação e transparência nos sistemas. A presidente eleita Dilma Rousseff demonstra sensibilidade e consciência necessárias para buscar esse importante objetivo. Afinal, menos impostos significa menos informalidade, menos sonegação, mais competitividade, mais crescimento e, com isso, a geração de novos empregos e renda para a população”.

Paulo Skaf, presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo