imagem google

‘Projeto social tem que dar resultados, cumprir objetivos’, diz gerente da SAI Global em seminário na Fiesp

José Salvador da Silva Filho destacou o papel das empresas diante da responsabilidade social no seminário “Jornada da Indústria pela Sustentabilidade”, na manhã desta terça-feira (24/09), na sede da federação

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

“Um projeto social tem que dar resultados, cumprir objetivos. Na responsabilidade social isso também é estratégico, é importante que os resultados apareçam”. A avaliação é do gerente da SAI Global, José Salvador da Silva Filho, palestrante do painel “Ferramentas para gestão responsável com ênfase na ISO 26000” no seminário Jornada da Indústria pela Sustentabilidade, realizado na manhã desta terça-feira (24/09), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O evento é uma iniciativa da Fiesp, do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

De acordo com José Salvador da Silva Filho, as empresas precisam estar atentas a mudanças como as alterações do clima, a falta de água potável para todos e ao fato de que em 2050 seremos “9 bilhões de habitantes na terra demandando recursos”. “É como se tivéssemos um orçamento limitado, vivendo quase no vermelho”, disse. “Não temos como pedir um empréstimo para Marte ou para Vênus, precisamos encontrar uma fórmula para continuar vivendo com os recursos disponíveis”.

Salvador Filho: ação social é estratégica para as empresas e precisa cumprir objetivos. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Salvador Filho: ação social é estratégica para as empresas e deve cumprir objetivos. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Para o gerente da SAI Global, dentro do conceito de responsabilidade social, as empresas precisam ter ética em suas decisões. “Muitas decisões no mundo corporativo não consideram questões éticas”, explicou.

Ações que considerem os investimentos em infraestrutura e a formação de mão de obra qualificada também são bem-vindas. “É preciso pensar na produtividade dos recursos, avançar em mão de obra também por esse motivo”, disse. “Muitas mudanças dependem da nossa atitude”.

Perfil do investimento social

De acordo com Silva Filho, em 2010, as empresas brasileiras investiram R$ 8,4 bilhões em ações sociais. Ele ainda citou uma pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que aponta as características das ações sociais feitas pelas empresas no país. “São essencialmente doações”, disse. “O principal foco é a alimentação e o público mais focado são as crianças”.

Na maioria dos casos, esses projetos são desenvolvidos no entorno dessas corporações. E mobilizam sobretudo os donos. “Ainda não há uma participação forte dos empregados, nem muita parcerias”.

Nem mesmo os incentivos fiscais são aproveitados. “Apenas 2% das empresas utilizam esses benefícios”, explicou.

Segundo Silva Filho, é preciso considerar aspectos que vão além do econômico. “A sociedade está ganhando força”. “A responsabilidade social é o caminho para atingir o desenvolvimento sustentável”, disse. “É fundamental que cada organização contribua para essa sustentabilidade global”.

O gerente da SAI Global explicou que essa noção “está na ISSO 26000”. “A Responsabilidade social é a responsabilidade da empresa pelos impactos das suas decisões e atividades”, afirmou. “Toda organização causa impacto. Essa responsabilidade tem que ser exercida de maneira ética e transparente, tem que levar em conta as expectativas de todas as partes interessadas, como o governo e a sociedade”.