imagem google

Potencial do crescimento do setor ferroviário no Brasil debatido em seminário

Na 25ª Semana de Tecnologia Metroferroviária, secretário nacional de Transporte Terrestre do Ministério de Infraestrutura apresentou as estratégias da pasta para os próximos anos; prorrogação das concessões atuais, além da ampliação e construção de novas ferrovias estão previstas até 2030

Mayara Moraes, Agência Indusnet Fiesp

Nesta quinta-feira (5/9), a Fiesp reuniu especialistas para discutir o potencial de crescimento do setor ferroviário no Brasil, durante o Seminário de Infraestrutura de Transporte Ferroviário realizado ao longo da 25ª Semana de Tecnologia Metroferroviária, um dos principais eventos do setor de logística e transporte, organizado pela Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô (Aeamesp).

O diretor do Departamento de Infraestrutura da Fiesp e presidente da Abifer, Vicente Abate, mediou o debate sobre esse que é um dos modais mais estratégicos para a indústria. Na presença do superintendente de Projetos Custos e Estudos da Valec, Marcos Aires Albuquerque Santos, e do presidente da Aeamesp, Pedro Machado, o secretário nacional de Transporte Terrestre do Ministério de Infraestrutura, general Jamil Megid Júnior, garantiu que a retomada do setor ferroviário já começou e que algumas metas já estão muito bem definidas, entre elas, a ampliação da participação e dos investimentos privados, a prorrogação de contratos de concessões e investimentos cruzados e o aumento da capacidade da malha existente. “Nossa meta é aumentar a malha ferroviária de 16% para 30% até 2030”, disse Megid Júnior.

Os projetos para o Estado de São Paulo também são audaciosos. O governo federal estuda a prorrogação antecipada da concessão Rumo Malha Paulista e a execução de um projeto integrado na macrorregião do Porto de Santos, que inclui melhoramentos da malha e da operação da Portofer, além de terminais intermodais rodoferroviários nos eixos de acesso.

“Nossas ações estratégicas estão amparadas em um trabalho conjunto, coordenado pelo Governo Federal e executado em parcerias com Estados, entidades e a iniciativa privada”, frisou a autoridade.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1569098447

O diretor do Departamento de Infraestrutura da Fiesp e presidente da Abifer, Vicente Abate, integrou o debate. Foto: Karim Kahn/Fiesp

O secretário de Transportes de São Paulo, Alexandre Baldy, e a superintendente da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF), Ellen Martins, também exaltaram a colaboração entre órgão das diversas esferas.

“Temos experimentado uma relação muito profícua entre os governos federal e estadual”, assegurou Baldy. “Com essa política integrada do novo governo, implantaremos um sistema de malhas mais eficiente”, acrescentou Martins.

Esse é o terceiro ano consecutivo que a Fiesp organiza seu painel durante a Semana de Tecnologia Metroferroviária. Em 2018, a importância da reversão da matriz de transportes no país, o potencial para short lines no mercado brasileiro e a diversificação de cargas e corredores de integração regional foram os principais temas discutidos.