imagem google

Por que apostar em um desenvolvimento local sustentável

Mais que uma expressão da moda, sustentabilidade deve estar na ordem mundial do século XXI, defende Ana Paula de Oliveira, do Cores/Fiesp

Ana Paula de Oliveira Lepori, doutora em arquitetura e membro do Cores/Fiesp, Agência Indusnet Fiesp

De uma maneira geral, quando se fala em sustentabilidade, imediatamente as pessoas associam o conceito à questão ambiental. Entretanto, a sustentabilidade vai mais além do ecologicamente correto. Ela deve ser economicamente viável, socialmente justa e culturalmente aceita.

No âmago do desenvolvimento sustentável está o compromisso das sociedades atuais com as gerações futuras, com a ideia de patrimônio deixado para os que virão; uma herança ambiental, urbana, econômica, política e social.

Alguns aspectos da sustentabilidade são fundamentais de se considerar, fomentar e potencializar nas ações de cooperação ao desenvolvimento e responsabilidade social, principalmente as que somente alcançam importância global se construídas a partir de uma escala local.

Aspectos como prevenir, reutilizar, cooperar, integrar, interagir e democratizar somente podem ser atuantes quando exercidos através das boas práticas de âmbito local.

O desenvolvimento local sustentável para ser efetivo deve, entretanto, estar apoiado numa extensa análise do lugar, dos seus habitantes e das potencialidades latentes existentes.

Ao desenvolver ações baseadas em boas práticas locais, tanto os governos como as empresas difundirão práticas sustentáveis de governabilidade e gestão, motivando outras cidades e empresas para que busquem também criar suas próprias estratégias de desenvolvimento local e corresponsabilidade social.