imagem google

Polo aquático do Sesi-SP vence de novo e categoria júnior está nas quartas de final

Estratégias faladas em português no jogo sem que nenhum adversário entenda tem sido importante arma das duas equipes brasileiras na disputa do 41 st Annual Hawaiian Water Polo Tournament

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1600637838

Equipe de polo aquático da entidade da indústria venceu o time californiano por 26 a 9. Foto: Stephan Harman

Defende! Abre o jogo! Cuidado com a marcação! Todas as estratégias são faladas na frente dos jogadores adversários sem que eles compreendam nenhuma das táticas planejadas pela equipe brasileira. Assim, os garotos do Sesi-SP têm feito pra vencer as partidas durante o 41st Annual Hawaiian Water Pólo Tournament.

“O bom é que a gente tem um direcionamento maior do treinador sem entregar nosso jogo”, confirma o jogador Luca Fleury.

A vítima desta terça-feira (4) na categoria sub-16 foi o time californiano Wind n Sea. Os americanos tomaram 26 gols dos brasileiros e marcaram apenas 9. Com esta grande vantagem no placar, os meninos deram um passo importante para conquistar uma vaga na semi-final. O próximo jogo é contra o Agoura.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1600637838

Time sub-16 do Sesi-SP vai enfrentar o Agoura na semi-final

A equipe Júnior do Sesi-SP já está nas quartas de final do torneio. Depois de um jogo difícil contra o time Long Beach, os brasileiros conseguiram marcar 4 gols e garantiram a vaga na próxima fase. O fator fundamental desta primeira conquista foi a forte defesa. “Eu só precisei defender uma bola o jogo todo”, disse o goleiro Álvaro Assunção.

Para o preparador físico do time, Paulo Rose, os jogadores estão conseguindo um bom volume de jogo. “As outras equipes não estão acompanhando o nosso time. Temos conseguido desgastar os adversários. Isso é resultado da estrutura que o Sesi-SP está oferecendo para o polo aquático.”


Perspectivas

A experiência em competições internacionais também está ampliando as expectativas dos garotos. O atleta Daniel Amorim já planeja a possibilidade de, no futuro, conseguir uma bolsa em alguma faculdade americana a partir do polo.

“Este esporte ainda é pouco conhecido no Brasil. O Sesi-SP está apostando em um projeto inovador e isso faz com que nós tenhamos objetivos mais concretos”, observou Daniel.

Outros garotos sonham até com os Jogos Olímpicos. O polo aquático brasileiro já não participa desta competição há 24 anos.

“Nós podemos mudar essa realidade. Fazemos parte de uma boa geração na modalidade, quem sabe não seremos nós a conquistar novamente uma vaga olímpica?”, projetou o jogador Arthur Gaz.

Por enquanto, os times do Sesi-SP já estão deixando os adversários preocupados.