imagem google

PIB da agricultura deve ser forte, mas problema de infraestrutura ainda não foi resolvido, diz presidente do Cosag

João de Almeida Sampaio Filho discutiu perspectivas para 2013 com o ministro Mendes Ribeiro durante reunião do Conselho de Agronegócio da Fiesp, na manhã de hoje

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Reuniao do Cosag/Fiesp com ministro Mendes Ribeiro Filho. Foto: Julia Moraes

João de Almeida Sampaio Filho., presidente do Cosag/Fiesp. Foto: Julia Moraes

O resultado negativo do Produto Interno Bruto (PIB) agropecuário em 2012 era previsto, mas sua dimensão pode ter sido agravada por problemas com logística e infraestrutura, os quais ainda não foram resolvidos, na avaliação do presidente do Conselho Superior do Agronegócio (Cosag) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), João de Almeida Sampaio Filho.  O empresário espera, no entanto, um cenário melhor para o setor em 2013.

Nesta segunda-feira (04/03), ele se reuniu com conselheiros do Cosag e o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro, para discutir objetivos e perspectivas para o setor em 2013. E analisou o resultado do PIB agropecuário como “um fato”.

“A gente percebia alguns setores onde estávamos enfrentando problemas. Talvez o tamanho [do resultado] tenha sido provocado por alguns outros acontecimentos, como a infraestrutura. A gente perdeu muita produção”, pontuou.

O presidente do Cosag/Fiesp acredita que o PIB do setor deve apresentar um desempenho mais favorável este ano, “com crescimento forte na agricultura”. Mas, em sua avaliação, as dificuldades com os gargalos para escoamento da produção devem persistir, já que “o problema da infraestrutura ainda não foi resolvido”, projetou, sem fazer estimativa numérica para 2013. “Ainda é cedo para colocar algum número,” concluiu.

Apesar da safra 2012/2013 de grãos bater o recorde de 185 milhões de toneladas, o PIB da agropecuária caiu  2,3% em 2012.