imagem google

Pesquisa da Fiesp revela que 73% das empresas investem em educação

Dados integram estudo "Rumos da Indústria Paulista" que ouviu 290 empresas e foi apresentado durante a 5ª Mostra Fiesp/Ciesp

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1660756793

Eliane Belfort, diretora-titular do Cores/Fiesp, divuga pesquisa na 5ª Mostra de Responsabiidade Socioambiental

A pesquisa “Rumos da Indústria Paulista”, elaborada pela Fiesp e divulgada nesta segunda-feira (21), apurou que 73% das 290 empresas ouvidas em setembro investem em algum programa de educação.

Os dados foram levantados pelo Departamento de Pesquisas Econômicas (Depecon) da Fiespe anunciados pela diretora-titular do Comitê de Responsabilidade Social (Cores) da entidade, Eliane Belfort, durante a  5ª Mostra Fiesp/Ciesp de Responsabilidade Socioambiental.
“Estamos muito satisfeitos ao analisar essa pesquisa e nos darmos conta da grande evolução, não só visando ao crescimento das empresas, mas à consciência de que o desenvolvimento sustentável só se dá com o desenvolvimento social acompanhado do crescimento econômico”, afirmou Belfort na abertura da Mostra que traz este ano o tema “Desenvolvimento Social e Resultado Econômico”.

O estudo, encomendado pelo Cores, apurou que o principal programa de educação, realizado por 74% das companhias entrevistadas, foi a formação profissional/qualificação da mão de obra. Outra iniciativa citada por 70% das empresas é o fornecimento de subsídios para a elevação no nível educacional ou aprimoramento profissional de funcionários.

Igualdade de gênero

Imagem relacionada a matéria - Id: 1660756793

Ministra Iriny Lopes, secretária de Políticas para Mulheres da Presidência da República

De acordo com a pesquisa “Rumos da Indústria Paulista”, 61% das empresas que responderam ao questionário afirmaram que promovem a igualdade entre os gêneros e a autonomia das mulheres dentro ou fora da organização.

As principais práticas de igualdade entre gêneros utilizadas pelas empresas são: observância da igualdade salarial entre homens e mulheres (90%) e observância da igualdade de homens e mulheres em cargos executivos (58%).

A ministra Iriny Lopes, secretária de Políticas para Mulheres da Presidência da República, se mostrou otimista quanto ao futuro das mulheres no Brasil. “Temos muito a fazer, mas já conquistamos muitas coisas. Hoje somos dirigidos por uma mulher que tem mostrado competência”, destacou. “Eu acho que o nosso futuro não vai vir de graça, nós teremos que conquistá-lo. Mas estamos no caminho certo e a Fiesp, essa Mostra e esse debate são uma contribuição inestimável para esse processo”, afirmou Iriny Lopes.

As empresas foram ouvidas pelo Depecon entre os dias 9 e 23 de setembro e separadas entre os seguintes grupos: micro/pequenas com até 99 empregados (56%), médias com 100 a 499 empregados (32%) e grandes com 500 empregados ou mais (12%).

Segundo o estudo, 17% delas não realizam programas sociais, 59% realizam programas sociais para contribuir com o desenvolvimento social, 54% realizam programas sociais para atender a missão ou os valores da organização enquanto outras 36% promover projetos sociais para fortalecer a imagem de sua empresa.

Para ler a pesquisa na íntegra, clique aqui.

Mostra

A 5ª Mostra de Responsabilidade Social da Fiesp começou na manhã desta segunda-feira (21) e, até quarta-feira (23), receberá autoridades e executivos para debaterem a apresentarem casos de sucesso voltados ao desenvolvimento social e econômico.

“O objetivo nessa Mostra é apresentar à sociedade as ações empresariais de responsabilidade socioambiental”, afirmou Nelson Pereira dos Reis, vice-presidente e diretor-titular do Departamento de Meio Ambiente da Fiesp. “E isso não é só questão de custos. Pelo contrário, gera competitividade para essa empresa, a qual estará mais motivada a penetrar no mercado e nos espaços nos quais atua.”