imagem google

Peac Maquininhas: Linha de crédito para microempresários é alternativa para manter o fluxo de caixa

Entre as principais vantagens do programa, a praticidade em adquiri-lo, além do recurso não ter destino definido, ou seja, pode ser usado para pagamento do 13º, investimentos ou compra de insumos, por exemplo

Isabel Cleary, Agência Indusnet Fiesp

O governo federal sancionou, em agosto de 2020, a Lei n°14.042, que criou o Programa Emergencial de Acesso ao Crédito (Peac), alternativa em meio à crise financeira provocada pela Covid-19. Composto por duas modalidades, uma delas é voltada aos Microempreendedores individuais e às empresas de pequeno porte: o Peac-Maquininhas. Com o objetivo de explicar os detalhes e benefícios da proposta, o Departamento da Micro, Pequena, Média Indústria e Acelera Fiesp (Dempi Acelera), realizou nesta quinta-feira, 19/11, a live de Crédito Peac Maquininhas, que contou com a presença de especialistas no assunto.

Trata-se de uma linha de crédito com recursos do Tesouro, que serão emprestados, via BNDES, até 31 de dezembro deste ano. A garantia ficará por conta de recebíveis das vendas futuras realizadas por meio de máquinas de pagamento digital – também conhecidas como “maquininhas” – com taxa de juros de 6% ao ano. O BNDES disponibiliza o Peac Maquininhas por meio de sua rede de bancos credenciados e habilitados a operar o programa.

De acordo com Gabriel Aidar, gerente de relacionamento com clientes e entidades de representação do BNDES, entre as principais vantagens do programa para o microempreendedor está a praticidade em adquiri-lo, além do recurso ser livre. “O empresário pode usá-lo para qualquer custeio que ele precise, como o pagamento do 13º dos funcionários, investimentos ou a compra de insumos, por exemplo”, esclareceu. Aidar também ressaltou que as taxas de juros são menores que as usuais no mercado, além dos prazos de carência serem maiores – até seis meses.

Um dos bancos credenciados no programa é o Safra. A instituição financeira já concedeu R$ 236 milhões de crédito na modalidade, com mais de 9 mil clientes, e acredita que este número deverá aumentar até o final do ano. “Com este cenário que estamos vivendo, o principal objetivo é auxiliar o microempresário em situações de fluxo de caixa”, observou Ricardo Leite, diretor comercial de produtos do Banco Safra.

Para Renato Corona, gerente do Departamento de Competitividade e Tecnologia (Decomtec) da Fiesp, a premissa para o empreendedor adquirir o crédito é estar com a gestão financeira alinhada e o fluxo de caixa controlado. Além disso, é importante aproveitar as boas taxas de juros, principalmente em situações como queda do faturamento ou mesmo impostos atrasados. “É essencial obter crédito para não sofrer com o efeito cascata dos compromissos”, alertou. Os palestrantes comentaram, ainda, as outras opções de crédito disponíveis para os microempreendedores, como o Crédito Pequenas Empresas e a Peac FGI, também disponíveis até o final de 2020.

Desde março deste ano, o Dempi Acelera criou um ambiente de relacionamento para empresas com conteúdo, ferramentas e soluções na área de crédito. A Central de Crédito tem por objetivo mapear as demandas das empresas, promover a interlocução das mesmas com os agentes financeiros, mitigar as dificuldades na concretização das operações de crédito, oferecer orientação nas linhas e programas e melhorar o acesso.

Conheça mais sobre a Central de Crédito e acesse as condições para a linha de credito Peac Maquininhas aqui.

A íntegra da live você confere no link.