imagem google

Paulo Skaf no telejornal da Record News: setor elétrico já amortizou investimentos

Em entrevista a Heródoto Barbeiro, presidente da Fiesp e o Ciesp diz que MP 579 não é 'populismo elétrico'

Imagem relacionada a matéria - Id: 1571868009

Paulo Skaf na entrevista ao vivo com Heródoto Barbeiro.

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, esteve no estúdio do Jornal da Record News, nesta terça-feira (11/12), para comentar a tramitação no Congresso da Medida Provisória (MP) 579/2012, que antecipa a renovação das concessões no setor elétrico e abre oportunidade para a redução de tarifas de energia.

Skaf disse que a MP não representa uma tentativa de populismo elétrico. “No preço cobrado [pelas empresas estatais[, a maior parte é amortização de investimento. Que paga as usinas é a sociedade”, explicou, observando que as usinas construídas nos anos 60 e já tiveram uma renovação em 1995 por mais e 20 anos.

“O que interessa para a população? Interessa que todos estavam pagando na conta de luz de forma injusta uma amortização que já foi paga anteriormente. Ou seja, estava se pagando mais do que devia se pagar.”

“Essas companhias estatais estavam mal acostumadas”, concluiu Skaf ao final da entrevista.

Veja na íntegra no site da Record News.