imagem google

Para ex-presidente da TAM, grande gestor é o que está preparado para lidar com imprevistos

A uma plateia de 700 jovens empresários, David Barioni Neto fez um paralelo entre a gestão de uma empresa e o desafio de voar

Agência Indusnet Fiesp

Gerir uma empresa é como fazer um voo em uma aeronave sem motor, o planador – tem que ter vontade e vibração, ou não vai para frente. O paralelo foi feito pelo ex-presidente da Tam, comandante David Barioni Neto, no V Congresso Paulista de Jovens Empreendedores, nesta segunda-feira (16), na Fiesp.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1576441465

Comandante David Barioni Neto, ex-presidente da Tam

“É igual a um plano de voo. Precisa saber de onde partir, aonde chegar e de que maneira. E saber lidar com a imprevisibilidade no caminho. Talvez esta seja a diferença entre ter sucesso e não ter”, comparou o executivo, que deixou a presidência da Companhia Aérea há um mês.

O comandante Barioni Neto considera fundamental para a sobrevivência de uma empresa fazer a previsão do que pode dar errado no caminho.

“Em cada 100 business plan, 90 acabam dando errado. O que a gente faz em uma crise? Pouquíssimas pessoas trabalham com essas previsões”, colocou. “Quem deixa para se preocupar com a crise quando ela chega, já está pelo menos uns dez passos atrasado”, prosseguiu.

O ex-presidente da TAM também destacou a vontade do empresário como parte fundamental do negócio. Segundo ele, manter uma empresa em pé é o mesmo desafio de voar e chegar no destino.

“Precisamos de condições seguras de voo, com estabilidade, mas é preciso saber quando acelerar, quando ousar”, frisou. “Os números não nos dizem o que fazer. Tem que existir um feeling, o apetite pelo risco e a sua decisão de fazer”, completou o comandante.