imagem google

Benjamin Steinbruch: desonerações feitas pelo governo devem ser saudadas por uma questão de coerência

Em artigo na Folha de S.Paulo, o 1º vice-Presidente da Fiesp comenta que as contestações de alguns críticos não levam em conta o interesse maior do País

Agência Indusnet Fiesp

No jornal Folha de S.Paulo desta terça-feira (09/04), o 1º vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Benjamin Steinbruch, publicou artigo criticando os “patrulheiros” que apenas contestam as medidas promovidas pela presidenta Dilma Rousseff sob alegação de que são “um alívio temporário”.

Para Steinbruch, não só as desonerações, mas também a redução do preço da energia, têm um efeito muito importante na redução do Custo Brasil e no aumento da competitividade do produto brasileiro.

Ele comenta que outras desonerações que estão por vir devem beneficiar mais setores: “A desoneração das folhas de pagamento, por exemplo, era uma antiquíssima reivindicação não só dos empresários mas de toda a sociedade. Na legislação anterior, inflexível, quanto mais pessoas as empresas empregassem, mais taxadas elas eram. Essa injustiça está sendo corrigida e já há mais de 40 setores desonerados. Outros 14 passarão a receber o benefício a partir de 2014”.

Para ver o artigo na íntegra, clique aqui.