imagem google

OMC precisa passar por reformulação, afirma embaixador Rubens Barbosa em reunião na Fiesp

Para presidente do Coxcex, mundo passa por crise global do multilateralismo

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

A sobrevivência da Organização Mundial do Comércio (OMC) é importante, mas a instituição precisa passar por mudanças, afirmou o presidente do Conselho de Comércio Exterior (Coscex) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Rubens Barbosa, durante reunião do conselho, na manhã desta quarta-feira (11/12).

Segundo o embaixador, o problema atual da OMC não é isolado. “O multilateralismo como um todo vive uma crise geral”, afirmou Barbosa.

Segundo ele, a OMC passa pela necessidade de uma reformulação.  Isso porque a diversidade de opinião dos 160 países membros da organização impossibilita o avanço real das negociações e a conclusão da Rodada Doha.

Para Barbosa, o resultado da IX Conferência Ministerial da OMC, em Bali, realizada de 3 a 6 de junho, foi limitado. “A OMC terá dificuldades para incorporar uma nova agenda para liberalização do comércio e a redução do protecionismo”, opinou.

Barbosa também chamou a atenção para a importância de o Brasil negociar acordos de livre comércio fora do âmbito da OMC.  “Enquanto 354 acordos entraram em vigor fora do escopo da OMC, o Brasil e o Mercosul  – à margem desse processo – firmaram apenas três acordos, de menor importância”, disse.

Vera Thortensen, coordenadora do Centro de Comércio Global e Investimento (CCGI) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), também participou da reunião do Coscex.