imagem google

Oficinas de Teatro Musical oferecem iniciação ao mundo do canto, da dança e da interpretação

Além do espetáculo “A Madrinha Embriagada”, projeto de Teatro Musical do Sesi-SP inclui oficinas de vivência, que estão sendo realizadas na unidade da Vila Leopoldina

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Em agosto, mais uma etapa do Projeto Teatro Musical, realizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), começou a ser colocada em prática. Na unidade Vila Leopoldina do Sesi-SP, começaram as oficinas de vivência em Teatro Musical, com o objetivo de desenvolver a expressão corporal e a liberdade criativa de crianças, jovens e adultos.

Com três turmas de 30 alunos cada, em três faixas etárias diferentes, a partir dos 12 anos, as oficinas serão realizadas de agosto a dezembro, com aulas de música e canto, dança e interpretação.

As oficinas do Teatro Musical na Vila Leopoldina: conteúdos integrados para a formação dos profissionais. Foto: Divulgação

As oficinas na Vila Leopoldina: conteúdos integrados para a formação dos profissionais. Foto: Divulgação


Ao contrário dos cursos tradicionais, que tratam cada atividade de forma independente, nas oficinas do Sesi-SP há uma integração entre as aulas. Mesmo seguindo uma ordem – começa pela aula de música e canto, depois passa para dança e encerra com interpretação –, há um trabalho combinado entre os professores, que participam e interferem nas outras aulas e trazem elementos das outras artes para as suas.

“Em cada aula, a gente combina como vão ser as atividades, como vai ser possível encaixar uma na outra. Apesar de serem áreas diferentes, as aulas são interdisciplinares e a proposta é que as coisas se costurem”, explica o professor de música/canto, Sandro Sabbas. “A ideia da oficina é dar aos alunos um primeiro contato de canto, dança e interpretação de forma integrada, para que eles consigam conciliar tudo isso.“

Ritmo, respiração e voz

Durante a oficina, os alunos trabalham por meio de diversos mecanismos, que vão desde exercícios de ritmo, respiração e voz até atividades de autoconhecimento do corpo e de estímulo a criatividade e improvisação. “O que buscamos é que eles despertem a sensibilidade e as intuições que têm a ver com o universo imaginário do teatro. O objetivo é tocar nessa sensibilidade, por meio de técnicas de iniciação teatral”, afirmou Fabiano Lodi, professor de teatro.

Para o professor de dança, Frank Tavanti, além da estrutura da oficina e da dedicação dos professores, a vontade de aprender da turma faz diferença. “Tem muita gente aqui que nunca fez uma aula de dança, outros já têm experiência”, disse. “E eu posso testar as possibilidades e fazer com que todos possam vivenciar as mesmas coisas “, afirmou Tavanti.

“Meu trabalho é instrumentalizá-los para que eles possam utilizar isso da melhor maneira”, explicou. “E eles estão muito disponíveis para aprender. A cada aula eu vejo coisas novas e percebo uma mudança muito grande.”

Mergulhando no universo do musical

Entre os alunos, um objetivo é comum a todos: iniciar uma carreira em teatro musical, aproveitar a onda dos grandes espetáculos no Brasil.

Alunos em aula do Teatro Musical: formação integrada é destacada pelos participantes. Foto: Divulgação

Alunos em aula do Teatro Musical: formação integrada é destacada pelos participantes. Foto: Divulgação


“Sempre estou antenado com os eventos que o Sesi-SP promove na área  e soube do projeto de Teatro Musical. Como já atuo, achei que era uma forma de desenvolver a interpretação e também melhorar na parte técnica da dança e do canto. Isso além de mergulhar no mundo do teatro musical, que é um mercado grande no País atualmente”, disse  Higor Lemo, de 26 anos.

Mayara Mendes, de 23 anos, também já participa de uma companhia teatral e buscou a oficina para explorar mais a voz e a dança. A aluna elogiou a iniciativa do Sesi-SP. “Essa é uma oportunidade bem legal que o Sesi-SP criou porque, além de ser gratuito, ele abre o leque para todas as áreas: música, dança, artes cênicas, trabalhando as três linguagens ao mesmo tempo, o que facilita o nosso aprendizado.”

Para Grasiele Manhães Barreto, 35 anos, por serem gratuitas, as oficinas vão ajudar a descobrir talentos. “É uma oficina moderna e atualizada, porque antes era preciso fazer curso de interpretação, dança e canto separado”, explicou. “Além disso, os cursos que existem são muito caros. Ter uma oficina gratuita é uma revolução no meio do teatro musical.”

Para saber mais sobre o Projeto Teatro Musical, só clicar aqui.