imagem google

O Brasil vai deslanchar depois de aprovar as reformas, diz Paulo Skaf

Em encontro em Diadema, o presidente da Fiesp/Ciesp defende a retomada das obras paradas no Estado para gerar empregos e diz que a aprovação da Nova Previdência vai destravar os investimentos 

Alex de Souza, Agência Indusnet Fiesp

“A aprovação da reforma da Previdência vai melhorar as expectativas da economia e destravar os investimentos. Isso ocorrerá porque a tendência é o governo adotar medidas de curto prazo para estimular a economia, mas as reformas também vão atrair o capital estrangeiro para o Brasil”, afirmou o presidente da Fiesp/Ciesp, Paulo Skaf, nesta quarta-feira (5/6), em reunião com lideranças empresariais no Ciesp de Diadema. O encontro foi o quinto da série Diálogo pelo Brasil, que já passou por Jundiaí, Guarulhos, Sorocaba e Rio Claro.

Skaf disse ter a expectativa de que a reforma da Previdência passe na Câmara dos Deputados antes do recesso de julho e que, na sequência, a tramitação da Tributária ganhe velocidade no Congresso. Além das medidas de curto prazo defendidas por ele, tais como a liberação do PIS-Pasep e das contas inativas do Fundo de Garantia e a redução dos juros para as empresas, Skaf defendeu a retomada das milhares de obras do Estado que se encontram paradas para impulsionar a geração de empregos e fazer girar a economia.

“Quem pesa na economia é o governo. O Brasil é competitivo em diversos setores, como o de celulose, alimentos, petróleo e gás, entre tantos outros. Se tirarmos as pedras do caminho, fazendo as reformas e mantendo as contas em dia, o país vai deslanchar”, disse Skaf, que voltou a criticar as taxas de juros praticadas no Brasil. “Um absurdo. Precisamos de mais competição entre os bancos. Precisamos desburocratizar para haver mais oferta de dinheiro para empréstimo. Houve retração do capital de giro, mas o crédito precisa voltar”, pontuou Skaf, reafirmando que estes foram temas tratados em recente visita do ministro de Economia, Paulo Guedes, à Fiesp. A redução do preço do gás também foi tratado com os presentes e o presidente da Federação reafirmou a necessidade de preços competitivos.

Paulo Skaf destacou a atuação da Fiesp e do Ciesp em temas como o Bloco K, que contém o e-Social, Normas Regulamentadoras e a abertura responsável do mercado a fim de garantir a competitividade da indústria nacional.

“Vivemos na era da quarta revolução industrial e o mundo passa por um momento singular, no qual é necessário repensar conceitos todo o tempo, uma época de reinvenção”, disse. Skaf afirmou ser necessário preparar mão de obra qualificada para essa nova realidade, começando pela educação básica de qualidade, pois “lamentavelmente, a escola pública no Brasil e em São Paulo é muito ruim”. A competitividade e o desenvolvimento da indústria nacional estão diretamente ligados à educação profissional e precisamos de educação básica de qualidade, papel que vem sendo cumprido pelo Sesi-SP e Senai-SP, entidades também presididas por Skaf.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1561487525

Presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, se reúne com lideranças empresariais no Ciesp, em Diadema. Foto: Karim Khan/Fiesp