imagem google

Nota oficial: ‘Banco Central erra ao subir juros’, diz Paulo Skaf

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp) criticam a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) de elevar a taxa Selic em 0,5 pp, passando a 11,75% a.a.

“Ao utilizar apenas a taxa de juros como instrumento de controle da inflação, o governo erra e derrubará ainda mais a atividade econômica, que já se encontra anêmica”, afirma Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp.

Dados do Produto Interno Bruto (PIB) divulgados pelo  Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram queda no consumo das famílias no terceiro trimestre, devendo encerrar o ano de 2014 com crescimento ao redor de 1%, o desempenho mais fraco desde 2003.

Além disso, a indústria de transformação e os investimentos devem encerrar o ano com queda em torno de 3,5% e 7,0%, respectivamente.

O Brasil precisa urgentemente retomar o crescimento econômico, pois assim teremos o aumento da arrecadação sem elevação da carga tributária sobre famílias e empresas, solucionando a questão fiscal.

“O governo gasta muito e gasta mal. A nova equipe econômica deve ter como prioridade o controle dos gastos correntes e o aumento da eficiência e não o aumento de juros”, conclui Skaf.

Na terça-feira (03/12), às 11h30, o Jurômetro da Fiesp indicava que o governo brasileiro havia pago, desde o início do ano, 253,2 bilhões de reais em juros. Há um ano, no mesmo horário, o gasto com juros calculado pelo Jurômetro era de R$ 226 bilhões.

Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)
Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp)