imagem google

Ministro da Agricultura diz que plano de armazenagem não é do ‘tamanho desejado’, mas vai detectar gargalos do setor

Mendes Ribeiro Filho falou sobre expectativas do ministério para 2013 ao participar de reunião do Conselho Superior de Agricultura da Fiesp

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1600637684

Ministro Mendes Ribeiro Filho: planejamento, marketing, inovação, transferência de tecnologia, pesquisa e estratégia são os maiores desafios do Ministério. Foto: Julia Moraes

O Plano Nacional de Armazenagem, com lançamento previsto para este ano, deve evitar em 2013 os problemas de abastecimento e de preço de grãos enfrentados por produtores no ano passado, de acordo com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho.

“Gargalos existem, todos nós sabemos, mas vamos vencendo”, disse o ministro nesta segunda-feira (04/03), na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, ao participar de reunião do Conselho Superior de Agronegócio (Cosag) da Fiesp.

“O Plano Nacional de Armazenagem já é algo extremamente positivo. Não foi do tamanho que desejamos, mas já irá detectar gargalos, demandas. (…) Em determinadas regiões, onde não tínhamos como absorver a demanda de grãos, já não vai ser assim neste ano”, completou o ministro.

Segundo Mendes Ribeiro, a atuação do ministério passa pela solução de pendências passadas. “Planejamento, marketing, inovação, transferência de tecnologia, pesquisa e estratégia. Esses são os nossos maiores desafios.”

O presidente do Cosag, João de Almeida Sampaio Filho, conduziu o encontro e afirmou que o compromisso do Conselho é o de discutir meios de tornar o setor agropecuário mais competitivo.

“Vai ser um ano de discussões eficientes. O presidente [da Fiesp] Paulo Skaf fez um pedido especial a todos os presidentes de conselho e diretores da Fiesp para que este seja o ano de discutir a competitividade”, afirmou Sampaio.

Logística

Imagem relacionada a matéria - Id: 1600637684

Reunião do Cosag/Fiesp. Compromisso do Conselho é o de discutir meios de tornar o setor agropecuário mais competitivo, de acordo com presidente do conselho, João de Almeida Sampaio Filho. Foto: Julia Moraes

O secretário-executivo do Ministério da Agricultura, José Carlos Vaz, também participou da reunião e reiterou que um dos principais objetivos do governo para 2013 é combater dificuldades logísticas que vão além do escoamento e do armazenamento da produção de grãos.

“Nós temos um grande desafio que é da Nação. Não é só a soja e o milho que estão com dificuldade de transporte; o Brasil está com problema de logística”, afirmou Vaz.

O secretário defendeu a adoção de um Plano Safra [síntese das diretrizes da política agropecuária] de longo prazo e disse acreditar que o ideal é elaborar, com a participação do setor privado, um planejamento de médio longo prazo para o agronegócio. “Temos que ter um Plano Safra de cinco anos no mínimo.”

Desde junho de 2012, um grupo de trabalho formado por representantes do governo federal e da iniciativa privada agropecuária prepara o Plano Nacional de Armazenagem, com o objetivo de desafogar os gargalos da estocagem.

O ministro Mendes Ribeiro prevê que o plano deva produzir algum resultado este ano. “Em 2012 enfrentamos dificuldades, especialmente com relação ao abastecimento e aos preços do milho, mas essa iniciativa deve garantir os estoques reguladores e apoiar a comercialização de grãos.”

Em 2012 faltaram silos em algumas regiões de Mato Grosso para armazenar a produção recorde de grãos. Parte das commodities foi armazenada a céu aberto, prejudicando sua comercialização.