imagem google

Melhoria da competitividade é tema de almoço na Fiesp, afirma embaixador Roberto Azevêdo

Diretor-geral da OMC, Azevêdo se reuniu com cerca de 30 representantes do setor produtivo na sede da federação

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp 

Eleito recentemente diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), o embaixador Roberto Azevêdo se reuniu com presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, e outros representantes do setor produtivo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1571133716

Da esquerda para a direita: embaixador Roberto Azevêdo, Paulo Skaf e embaixador Rubens Barbosa. Foto: Junior Ruiz/Fiesp

No encontro, reunião seguida de almoço, representantes do agronegócio e da indústria de transformação falaram sobre negociações internacionais como a Rodada de Doha e incremento da participação da indústria brasileira como competidora no mercado global.

“Ao longo de minha carreira profissional no Itamaraty, eu sempre tive muito contato com a Fiesp, não só do ponto de vista de instituição, mas também com as empresas filiadas. E [o objetivo do encontro] foi um pouco colocar em dia a conversa, pensar um pouco o futuro”, afirmou Azevêdo após almoço com empresários.

Segundo ele, o principal desafio levantado durante a reunião é a inserção da indústria brasileira no mundo.

“Toda conversa foi exatamente em imaginar como melhorar a competitividade da indústria e como fazer que esse seja o caminho que vamos traçar daqui para frente”, afirmou o diretor da OMC.

Arredondar

Segundo o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, o próximo passo do setor produtivo do país, da indústria e do agronegócio, será arredondar as posições de ambos os segmentos para que a representação do Brasil nas negociações da OMC seja equilibrada.

Skaf afirmou que daqui para frente o caminho é “aparar ao máximo as arestas, permitindo uma posição conciliadora dos setores produtivos e facilitando o governo brasileiro nas negociações”.

“O fundamental não é o encontro de hoje e sim o canal aberto com o diretor-geral da OMC, que é algo importante para nós”, explicou o presidente da Fiesp.