imagem google

Mais de 1.500 pessoas participam do VI Congresso da Micro e Pequena Indústria em SP

Evento promovido pela Fiesp discute acesso ao crédito, alta carga tributária e questões trabalhistas

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1619005561

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, discursa na abertura do VI Congresso da Micro e Pequena Indústria. Foto: Helcio Nagamine

Nesta terça-feira (18/10), a Federação e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp), promove o VI Congresso da Micro e Pequena Indústria, que acontece das 8h30 às 19h, no Hotel Renaissance, em São Paulo.

Mais de 1.500 pessoas participam do evento, entre empresários, autoridades e representantes do setor que debatem temas considerados estratégicos, como crédito, inovação, questões fiscais e trabalhistas, entre outros.

Durante a abertura, o presidente das entidades, Paulo Skaf, destacou a importância de se realizar eventos como este em todas as regiões do estado: “As micro e pequenas empresas têm um peso muito importante para a economia de nosso estado. Vamos trabalhar para replicar eventos como este pelo interior”.

Sobre o momento econômico, Skaf alertou para o risco de contágio do Brasil diante da crise mundial. “Quanto mais saudável estiver nossa economia, maior resistência teremos para enfrentar qualquer ataque externo”, ressaltou.

Para o presidente da federação, a competitividade do País passa pela competitividade do setor produtivo. “Nós não vamos mudar a situação dos Estados Unidos e da Europa, mas devemos nos concentrar para melhorar o ambiente interno, diminuir a burocracia brasileira, os juros e os impostos, e melhorar a logística”, concluiu.

O diretor-titular do Departamento de Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi) da Fiesp, Milton Bogus, classificou o congresso promovido pela entidade como o coroamento de um trabalho do ano todo. “Temos hoje salas de crédito, parceria com 25 universidades e um trabalho na inovação”, pontuou Bogus. E arrematou: “A participação de mais de 1.500 pessoas, neste ano, mostra que o pequeno e médio empresário já percebeu que a Fiesp se preocupa com o setor e tem se empenhado para atender suas necessidades”.

Cenário

O Brasil tem 4,32 milhões de empresas, das quais 98% são micro e pequenas. Responsáveis pela geração de mais de 17 milhões de empregos, os pequenos e médios negócios enfrentam dificuldades como acesso ao crédito, carga tributária excessiva, questões trabalhistas e fiscais.

Segundo dados da Fiesp, 3,13% do faturamento das pequenas empresas é destinado ao pagamento de tributos. O estudo também indica que as médias gastam mais de R$ 4 bilhões em tributos, o que representa 1,64% do faturamento. Outros custos como funcionários e gestores são responsáveis por 1,99% do faturamento das pequenas e médias empresas.