imagem google

Mais 40 milhões de brasileiros foram resgatados da miséria por meio do ODM, diz secretário-geral da República

Governo lança nesta terça-feira (02/07), na Fiesp, 5ª edição do Prêmio ODM Brasil - Objetivos de Desenvolvimento do Milênio em São Paulo

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Os municípios envolvidos com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, oito metas definidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) para solucionar os principais problemas da humanidade, foram responsáveis pela inclusão econômica, social e política de 40 milhões de brasileiros nos últimos anos, afirmou o secretário geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho.

“Vocês fazem parte dessa grande vitória que tivemos que é o resgate de mais 40 milhões de brasileiros de uma vida de exclusão”, disse o secretário-geral e da República, por meio de uma gravação, durante o seminário de lançamento da 5ª Edição do Prêmio ODM Brasil – Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, realizado na sede da Federação das Indústrias do estado de São Paulo (Fiesp), na manhã desta terça-feira (02/07).

A abertura de lançamento do Prêmio ODM Brasil, feita por Loures. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

A abertura de lançamento do Prêmio ODM Brasil, feita por Rodrigo Rocha Loures. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


A abertura oficial do lançamento em São Paulo foi feita pelo secretário executivo do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade, e presidente do Conselho Superior de Inovação e Competitividade da Fiesp (Conic), Rodrigo Rocha Loures.

Carvalho apresentou um balanço do programa de desafios humanitários a serem cumpridos até 2015 e convidou representantes de cidades a inscreverem projetos de inclusão social na iniciativa da ONU.

“Em 2015 a ONU vai fazer um balanço dos ODMs e avaliar a situação de cada um dos países”, afirmou Carvalho. “O Brasil está muito próximo de conseguir todos os oito objetivos do milênio, portanto vamos trabalhar forte e fazer com que cada município possa aderir a esse programa e essa ambição de preenchermos os oito objetivos do milênio”, completou.

Carvalho enviou uma gravação para ser exibida no evento: a mortalidade infantil caiu de 26,1 óbitos em 2001 para 15,7 em 2011. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Carvalho enviou uma gravação para ser exibida no evento: mortalidade infantil caiu de 26,1 óbitos em 2001 para 15,7 em 2011. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Segundo Carvalho, o Brasil tem se destacado no cumprimento das metas do milênio, que são: acabar com a fome; educação básica de qualidade; igualdade entre sexos e valorização da mulher; reduzir a mortalidade infantil; melhorar a saúde das gestantes; combater a AIDS, malária e outras doenças; qualidade de vida e respeito ao meio ambiente e o trabalho conjunto para o desenvolvimento.

Segundo dados do governo, a mortalidade infantil caiu de 26,1 óbitos em 2001 para 15,7 em 2011, fazendo com o que o Brasil atingisse a meta com quatro anos de antecedência. Mas o país ainda não cumpriu a meta de redução da mortalidade materna — morte de mulheres ocorrida durante a gravidez, o aborto, o parto ou até 42 dias após o parto.  Em 1990, a taxa era de 141 óbitos por 100 mil nascidos vivos, em 2010 o índice chegou a 68 óbitos por 100 mil nascidos vivos. A meta do ODM é de 35 óbitos por 100 mil nascidos vivos.

Embora o Brasil esteja bem posicionado no cumprimento das Metas do Milênio, “temos ainda tristes ilhas de isolação”, afirmou Carvalho. Segundo ele, o governo federal deve aumentar o número de municípios premiados pelo ODM. O programa também deve ganhar abrangência estadual. A expectativa é premiar 30 projetos nacionalmente reconhecidos em 2014.