imagem google

Jornada da Exportação, uma imersão pelo comércio exterior

Foram promovidos debates para as PMEs, com foco nos desafios e oportunidades da exportação e inserção no mercado internacional, além da funcionalidade do Certificado de Origem e da Ata Carnet

Milena Nogueira, Agência Indusnet Fiesp

Começou nesta quarta-feira, 10/3, a Jornada da Exportação, imersão de dois dias sobre comércio exterior, com a participação do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp. O propósito do encontro, em parceria com o Sebrae e Apex Brasil, é oferecer aos pequenos e médios empresários uma explicação com temas fundamentais para que entendam os desafios e as oportunidades da exportação para sua empresa.

Em termos de comércio global, as pequenas e médias empresas representam aproximadamente 95% de toda força empresarial mundial, e só de 20% a 40% dessas empresas participam de exportações globais, de acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

A realidade brasileira ainda fica distante desse percentual, o que torna o desafio grande, mas não é exclusivo para o Brasil, pois existe um caminho a trilhar para chegar neste patamar de importância.  “As pequenas e médias empresas entregam entre 60% e 70% da força de trabalho. Então, porque não ser refletido no esforço de exportação?”, indaga Carla Rossetti, coordenadora de Relações Exteriores, Promoção Comercial e de Investimentos da Fiesp, na abertura do evento.

Uma das duas tendências nos negócios internacionais que Rossetti cita é a mudança na forma de produzir, na fragmentação da produção nas cadeias globais de valor. Esta divisão traz uma oportunidade para que algumas empresas entrem em segmentos específicos que tenham ciclos de vida curto, ponto importante para o empresário pensar em que elo da cadeia a empresa deve se inserir. Outra tendência relevante é a transformação digital refletida por meios de pagamento, ferramentas de contato e promoção do negócio que fazem com que as barreiras sejam menores, assim como os custos.

Neste primeiro dia de encontro também houve a participação do Sebrae com conteúdos sobre Mundo Bani, Transformação Digital e as Tendências Internacionais NRF, assim como as palestras sobre o Comportamento Empreendedor para Exportação, pela base Empreendedora, e outra sobre Internacionalização para MPE’s , pela Fundação Instituto de Administração (FIA).

Branding e marketing internacional, ferramentas para prospecção de mercado, e logística simplificada foram alguns temas abordados no segundo dia de imersão, realizada nesta quinta-feira, 11/3. No que diz respeito à documentação, a Fiesp desvendou como as empresas podem aumentar a competitividade na exportação por meio da Ata Carnet e do Certificado de Origem, emitidos pela Fiesp e pelo Ciesp.

 Documentos de Exportação: ATA Carnet e Certificado de Origem

 ATA Carnet

Conhecido também como Passaporte Aduaneiro Internacional, o ATA Carnet, concedido pela Fiesp, foi internacionalizada no Brasil em 2006 para suprimir uma necessidade do exportador, seja ele pessoa física ou jurídica, no transporte de mercadorias numa condição de admissão temporária. O documento é aceito em 78 países, com suspensão dos tributos incidentes.

Segundo a coordenadora de Serviços de Comércio Exterior da Fiesp, Camilla Mafissoni, a emissão do documento é simples e sem burocracia, tanto que pode ser emitido em todas as federações da indústria. E, de acordo com o levantamento feito pelo Derex, em 2020, o Brasil emitiu 143 documentos de ATA Carnet, principalmente para indústria de máquinas e para  equipamentos de filmagem. Destas emissões totais, 59 foram pela Fiesp.

“Dentre as vantagens, o ATA Carnet garante a operação com renomadas entidades empresariais no mundo, por 12 meses para até 4 viagens,  além do investimento exclusivo e acessível para viajar levando os bens com agilidade e credibilidade. A Rússia, que aceita somente este documento, lidera o ranking em emissão, seguida por Alemanha, EUA, França, Itália, Reino Unido, Japão, Espanha, Sérvia e Canadá”, elenca Mafissoni.

Para saber mais sobre ATA Carnet, acesse.

Certificado de Origem

Criado para conceder tratamento preferencial às operações para países com os quais o Brasil possui acordos de comércio, o Certificado de Origem é um documento que tem como objetivo atribuir competitividade dos exportadores brasileiros.  Isso acontece por meio da redução ou isenção do imposto de importação de seus produtos no destino, desde que as regras exigidas pelos acordos comerciais sejam atendidas.

Mesmo com fabricação brasileira, nem todos os produtos têm origem, porque determinados setores nem sempre possuem insumos existentes no Brasil. Assim, o empresário precisa importar. Diante desse aspecto, alguns produtos são negociados com 100% de insumos, mas com algumas etapas de processo produtivo.

Mafissoni destaca que para o empresário que deseja conquistar novos mercados é importante ele entender que o Certificado de Origem faz parte de uma estratégia de negociação, e não de um custo somente. Assim, ele saberá onde consegue sair na frente com os requisitos que o produto tem que cumprir nos países em que o Brasil tem acordo, como Argentina, Paraguai e Uruguai. países em que o Brasil tem acordo, como Argentina, Paraguai e Uruguai.

Para saber mais sobre Certificado de Origem, acesse.

Missões e Feiras Internacionais

Para empresas interessadas numa experiência internacional, mesmo que virtual, neste momento de pandemia, os organizadores do Jornada da Exportação pontuaram a importância das missões e feiras internacionais que vão acontecer este ano, das quais a Fiesp, o Sebrae e Apex Brasil são apoiadores.

Para Rosseti, essas missões possibilitam aos empresários explorarem os mercados globais, realizarem conexões, avaliarem condições competitivas, desenvolverem e/ou melhorarem a performance de seus negócios. Além de oferecer contato com autoridades públicas, interação com outras empresas brasileiras com interesse em comum, acesso à análise de mercado e contato com potenciais compradores, além de fazer network.

Acompanhe a agenda da Fiesp e planeja-se para a próxima missão internacional.

Link para agenda