imagem google

Indústria avança em logística reversa antes de acordo setorial em 2012

Semana do Meio Ambiente estimula debate sobre papel das empresas no retorno de resíduos

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

A partir de 2012 serão implantados acordos setoriais no Brasil para descarte e reaproveitamento de resíduos sólidos. A medida estimula a logística reversa para produtos como lâmpadas fluorescentes, pilhas, baterias, eletrônicos e embalagens.

A logística reversa, que consiste no retorno dos materiais pós-consumo para a cadeia produtiva, é um dos principais mecanismos defendidos pela Política Nacional de Resíduos Sólidos, implementada em agosto de 2010. O assunto será discutido na XIII Semana Fiesp/Ciesp de Meio Ambiente, que acontece de 6 a 8 de junho, na sede das entidades.

Apesar da previsão de acordos para 2012, Marco Antonio Barbieri, diretor do Departamento de Meio Ambiente (DMA) da Fiesp, comenta que, na prática, isso já acontence em algumas indústrias. “Tem alguns setores que já resolveram o seu problema e estão trabalhando nisso”, afirma, citando o caso da Reciclanip, uma entidade criada pelos fabricantes de pneus para promover a coleta e destinação de produtos que não têm mais condições de serem usados.

De janeiro a abril de 2011, a Reciclanip coletou e destinou mais de 107 mil toneladas de pneus, igual a 21,4 milhões de unidades de carro de passeio, em todos os seus 702 pontos de coleta distribuídos no Brasil. Desde 1999, a entindade recolheu 1,65 milhão de unidades, o equivalente a 330 milhões de pneus de passeio.

Para que a destinação correta dos resíduos seja realizada preservando o meio ambiente, é preciso de ação da iniciativa privada, do governo e também do consumidor. “O governo tem que promover a coleta seletiva, o usuário tem que saber aonde levar e a indústria então faz o retorno do produto”, disse Barbieri.

Leia mais:

Acompanhe a Semana do Meio Ambiente no Twitter!