imagem google

Indicador de Nível de Atividade da indústria sobe 0,7% em outubro, aponta Fiesp

Sensor marca 51,5 pontos em novembro e indica otimismo para o mês

Cristina Carvalho, Agência Indusnet Fiesp

O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria paulista segue registrando alta. Em outubro, subiu 0,7% em relação a setembro, na série com ajuste sazonal. Sem o ajuste, o indicador também avançou (4,1%) no mês. No acumulado do ano, entre janeiro e outubro, há um crescimento de 1,1%.

Algumas das principais variáveis que compõem o resultado do INA ficaram no campo positivo, com avanço para vendas reais e horas trabalhadas na produção, 2,6% e 0,5%, respectivamente. Houve estabilidade para o nível de utilização da capacidade instalada (NUCI). Também analisados na pesquisa, os salários reais médios apresentaram queda de 1,1%. Todos os resultados já com tratamento sazonal. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (29/11), pela Federação e pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp).

O Sensor, também medido pela Federação, ficou acima da linha de estabilidade, marcando 51,5 pontos, com ajuste sazonal, indicando aumento da atividade industrial paulista, em novembro.

A variável mercado marcou 59,2 pontos, indicando melhora no setor de atuação das empresas. Vendas subiram e registraram 51,9 pontos, indicando aumento das vendas para o mês.

Já os estoques marcaram 48,6 pontos, acima do nível desejado. Quanto à variável emprego, houve estabilidade, ao registrar 50 pontos, indicando perspectiva de estabilidade no mês.

O indicador de investimentos apresentou alta de 3,3 pontos, mas continua abaixo dos 50 pontos, registrando 49,1 pontos, sinalizando baixa nos investimentos.

Para José Ricardo Roriz Coelho, segundo vice-presidente da Fiesp, “a atividade industrial paulista cresceu 0,7% em outubro, indicando um bom início de trimestre, assim como o apurado no aumento das vendas no mês. O bom desempenho deve se manter em novembro, conforme sinalizado pelo Sensor, impulsionado, principalmente, pela melhora do setor de atuação das empresas e suas vendas. Graças às medidas do governo, como a liberação dos recursos do FGTS, redução da taxa SELIC e melhora do crédito, haverá a continuidade dos resultados positivos nos próximos meses”, disse.

Saiba mais neste link.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1576498856