imagem google

Hipertensão: a prevenção começa na infância? Especialistas respondem

Encontro on-line discutiu a incidência da doença em crianças e jovens

Isabel Cleary, Agência Indusnet Fiesp

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a hipertensão é responsável por 3,5 milhões das mortes anuais entre crianças e adolescentes no Brasil. Tal dado é preocupante para os pais e, por isso, nos perguntamos: a prevenção começa na infância? Para a Dra. Michelle Rabello, nutricionista e integrante da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), a resposta é sim: “Ela começa com o ensinamento de um estilo de vida mais saudável”.

O educador físico Leandro Brito, diretor do departamento de atividade física da SBH, concorda com essa opinião: “Se as crianças ficarem mais ativas e menos sedentárias, é possível impactar na prevenção da doença. Uma criança ativa tem muito mais chances de ser um adulto ativo”. Na mesma linha dos colegas, o Dr. Nelson Dinamarco (médico cardiologista e diretor de Ensino da SBH), reforçou a necessidade de incentivar a medição da pressão arterial nas consultas das crianças. “Assim podemos ter mais diagnósticos e tratamentos precoces”, enfatizou.

É sabido que a alimentação é a base para uma vida mais saudável. E, no caso da hipertensão, os alimentos gordurosos são extremamente danosos. De acordo com a Dra. Rabello, uma refeição ideal para as crianças é a colorida, ou seja, a que contenha frutas, verduras, hortaliças e cereais integrais, para que isso vire um hábito desde cedo. “Com um cardápio assim podemos prevenir não só a hipertensão, mas outras doenças crônicas”, orientou.

Outro ponto importante discutido durante o evento on-line, no canal do YouTube da Fiesp, é o fato de a hipertensão ser uma doença silenciosa, muitas vezes só descoberta quando há lesões em outros órgãos.

A atividade física é outra aliada e deve estar na rotina das crianças que, nos dias de hoje, passam muito tempo nos jogos on-line. O educador físico Brito explicou que para se movimentar não é necessário ir à academia, apesar de também ser uma recomendação para o fortalecimento de músculos e outras atividades, mas exercícios como subir a escada de casa ou do prédio, fazer caminhadas de 5 a 10 minutos entre uma partida do jogo e outra, evitar ficar mais de 20 minutos sentado, são algumas ações simples e que podem ser realizadas no dia a dia da criança. “Qualquer movimento conta. Sempre é melhor do que nenhum movimento”, ressaltou ele.

Apesar de extrema importância para a prevenção da hipertensão, em caso de diagnóstico da doença, a atividade física é essencial e desejável, mas não exclui o tratamento completo. “A hipertensão é uma doença complexa e por isso não falamos em cura, mas, sim, reduzir a quantidade de remédios e aumentar a qualidade de vida”, esclareceu o Dr. Dinamarco.

O médico reforçou, ainda, que os remédios para hipertensão devem ser tomados regularmente e uma dica é associá-los a hábitos que não esquecemos, como por exemplo, a hora da refeição.

Confira aqui o evento completo e as dicas dos especialistas da Sociedade Brasileira de Hipertensão.