imagem google

Ha-Joon Chang: ‘Desafio do Brasil é desenvolver indústria de tecnologia para agricultura’

Economista de Cambridge falou a empresários e diretores da Fiesp sobre política industrial e desindustrialização

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1571747142

Ha-Joon Chang ressalta a necessidade do Brasil ter uma política industrial sólida

A indústria brasileira tem o desafio – e a oportunidade – de agregar tecnologia de ponta à produção de alimentos e energia e fortalecer um nicho de mercado.

O alerta é do economista e professor da Universidade de Cambridge, Ha-Joon Chang, em encontro com empresários e diretores na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) nesta terça-feira (08/05).

“O Brasil poderia tentar desenvolver indústrias de tecnologia de ponta que aproveitem melhor a terra, aumentem a produtividade da safra e melhorem o aproveitamento da água”, sugeriu Chang logo após um comentário do diretor-titular de Relações Internacionais da Fiesp, Roberto Giannetti.

De acordo com Giannetti, o mundo espera que o Brasil se torne a principal solução para o abastecimento de alimentos e energia no futuro próximo. Se por um lado existe uma forte demanda para o país, ressalvou Giannetti, por outro a indústria brasileira tem a ambição de diversificar cada vez mais sua base de produção e torná-la competitiva no mercado local e internacional.

Na opinião de Ha-Joon Chang , tal pressão do mundo sobre o Brasil é decorrente da capacidade exibida pelos brasileiros em momentos anteriores. “[Ela] veio do que vocês demonstraram poder fazer, sendo o Brasil o primeiro país a desenvolver o etanol”, exemplificou o sul-coreano ao final da sua palestra “Por que o Brasil precisa de uma Sólida Política Industrial”.