imagem google

Governo precisa criar uma política industrial de longo prazo, diz vice-presidente do Ciesp

Para Rafael Cervone Netto, é preciso promover com urgência uma simplificação da carga tributária

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1653329360

Vice-presidente do Ciesp, Rafael Cervone: Brasil não consegue recuperar a força sem recuperar a indústria. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp (Arquivo)

Estabelecer uma política industrial de longo prazo deve ser uma das prioridades do governo federal, defendeu o vice-presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Rafael Cervone Netto, em entrevista à radio CBN de Campinas, na manhã desta sexta-feira (16/01).

“Falta no Brasil um plano de governo, uma agenda de estado, com visão de longo prazo. O Brasil é um dos países que têm uma das maiores imprevisibilidades”, disse ele ao falar de mudanças constantes em leis que impactam os custos das empresas.

Cervone defendeu uma simplificação urgente da agenda tributária, o fim da guerra fiscal entre os estados e a manutenção da taxa cambial em níveis competitivos para os exportadores, sem tantas oscilações.

O vice-presidente do Ciesp pediu ainda um restabelecimento da agenda de comércio exterior com Estados Unidos e Europa e a retomada de negociações com o Mercosul em condições mais favoráveis.

Segundo Cervone, o país não aguenta mais observar o processo de desinsdustrialização. “Brasil não consegue recuperar a força sem recuperar a indústria, até porque a indústria paga melhores salários. O Brasil pode crescer rapidamente. O que a gente tem ouvido é que esse ajuste passa por aumento de impostos. Isso não se justifica”, ponderou.

“O grande problema, hoje, é que nunca enfrentamos o ambiente de negócios tão hostil ao trabalho, ao emprego. Precisamos ter um retorno de produtividade urgente”, reforçou Cervone.

>> Ouça a entrevista na íntegra no site da rádio CBN Campinas