imagem google

Fiesp recebe missão do BIE para avaliar candidatura de São Paulo à Expo 2020

Encontros entre autoridades e grupos técnicos de trabalho vão até quinta-feira (14/03)

Imagem relacionada a matéria - Id: 1594471130

Sede da Fiesp: quatro dias de reuniões técnicas para inspeção da candidatura de São Paulo à Expo 2020. Foto: Julia Moraes

Agência Indusnet Fiesp

Começa nesta segunda-feira (11/03), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a missão do comitê do Bureau Internacional de Exposições (BIE) com o objetivo de inspecionar a candidatura da cidade de São Paulo à Exposição Universal de 2020 (Expo 2020).

Logo pela manhã, o secretário-geral do BIE, Vicente Loscertales, e mais nove integrantes da comitiva, têm um encontro com a vice-prefeita, Nadia Campeão, e com secretário municipal de Relações Internacionais e Federativas, Leonardo Barchini.

Em seguida, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e o secretário estadual de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Julio Semeghini, fazem uma apresentação sobre as razões locais, nacionais e internacionais para São Paulo sediar a Expo 2020, abordando o contexto político, social e econômico. A agenda dos grupos técnicos prossegue até quinta-feira (14/03).

Terceiro maior evento mundial em termos de capacidade de fomento do desenvolvimento social e econômico, atrás apenas dos Jogos Olímpicos e da Copa do Mundo, a Expo tem duração de seis meses e acontece a cada cinco anos. É considerada referência na troca de experiências em temas como urbanismo e sustentabilidade.

São Paulo concorre com outras quatro cidades: Ayutthaya, na Tailândia; Dubai, nos Emirados Árabes; Ecaterimburgo, na Rússia; e Esmirna, na Turquia.  A decisão da cidade-sede da Expo 2020 será anunciada em novembro deste ano, em Paris.

A candidatura de São Paulo conta com o apoio da Fiesp. Em maio, o presidente da entidade, Paulo Skaf,  recebeu Locertales e o acompanhou em visita à Brasília para um encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer. No início de outubro de 2012, a Fiesp assinou acordo de cooperação técnica com a prefeitura de São Paulo para a Expo 2020.

“O Brasil está em um momento muito positivo. Daqui até 2020, grandes eventos terão sido realizados e essa grande exposição vai criar uma sinergia em todos esses bons momentos pelos quais o país irá passar”, disse Skaf após a assinatura do protocolo.

Infraestrutura e desenvolvimento

O evento exigirá uma infraestrutura especial e resultará em um significativo desenvolvimento para a cidade-sede. Caso São Paulo seja a escolhida, está prevista a construção de uma área de aproximadamente cinco quilômetros quadrados (três vezes maior que o parque Ibirapuera).

O novo centro de exposições será o maior da América Latina, com diversos pavilhões que após o evento serão transformados em escolas, postos de saúde e teatros.

Para sediar a exposição, a candidatura paulistana escolheu um local na zona norte da cidade, entre o bairro de Pirituba e o parque estadual do Jaraguá.

História 

A Exposição Universal nasceu há mais de um século e meio e reúne países do mundo todo a cada cinco anos.

A primeira edição foi em 1851, em Londres, no Palácio de Cristal, construído para a ocasião. A Torre Eiffel foi projetada para a edição de 1889. Durante os anos, a exposição apresentou grandes inovações ao mundo, como a iluminação pública, o telefone e o elevador.

Em 2010, a cidade de Xangai, na China, recebeu 73 milhões de visitantes e contou com a participação de 190 países.