imagem google

Fiesp: o que o Brasil precisa fazer para recuperar o tempo perdido na área de saneamento básico?

Enquanto na região Sudeste 69% dos domicílios contam com rede de esgoto, na Norte, apenas 3,5% da população possui esgoto coletado em suas residências

Agência Indusnet

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) realizará, na próxima terça-feira (08/10), o 3º Encontro de Saneamento Básico, no Teatro do Sesi São Paulo. O intuito é expor os problemas e trazer possíveis soluções para que os gargalos do setor sejam minimizados.

O diretor titular do Departamento de de Infraestrutura (Deinfra) da entidade, Carlos Cavalcanti, informa que, durante o evento, serão abordadas as principais questões sobre o tema além de serem propostos debates sobre as políticas públicas praticadas e a participação do setor privado nos investimentos e na prestação de serviços.

Segundo Cavalcanti, essas discussões são necessárias para que sejam elaboradas propostas e sugestões que visem à garantia de oferta de serviços do setor e sua qualidade por meio de maior participação da indústria. ” Em 2010, dados mostravam que 54% da população brasileira não tinham coleta de esgoto. Apenas 38% do esgoto eram tratados, e mais de 60% eram lançados in natura a céu aberto, nos rios, nos lagos ou nas praias. Nada mudou. O Brasil continua convivendo com problemas estruturais sérios, como por exemplo, uma em cada cinco residências não tem água encanada. Precisamos mudar essa realidade o mais rápido possível”, afirma  Cavalcanti.

Entre os temas que  serão discutidos no evento estão: A revisão tarifária da Sabesp, onde a Fiesp apresentará suas contribuições para cada critério durante o processo de reajuste tarifário, e o AquaRating, um sistema de classificação dos serviços de saneamento básico, desenvolvido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a pela Associação Internacional de Água (IWA). O “ranking” avalia a qualidade dos serviços e eficiência operacional, planejamento e investimentos, gestão organizacional e sustentabilidade financeira do setor.

O saneamento básico é de suma importância para o desenvolvimento econômico e para a redução de desigualdades, uma vez que está vinculado e impacta diretamente na saúde e qualidade de vida das pessoas, sobretudo, na população de baixa renda. No entanto, é o setor que apresenta maior carência entre os demais setores de infraestrutura básica.

“O abastecimento de água ainda enfrenta sérios problemas. Dados mostram que dos 5.565 municípios brasileiros, 55% poderão ter déficit no abastecimento de água. Desses, 84% necessitam de investimentos para adequação de seus sistemas produtores e 16% precisam de novos mananciais.”, ressalta Carlos Cavalcanti, diretor de infraestrutura da Fiesp.

O evento também contará com debates sobre política tarifária, qualidade de vida, arranjo normativo e institucional em regiões metropolitanas, cobertura e qualidade de serviços, além da participação do setor privado na prestação de serviços e em toda a cadeia do setor.

Serviço
3º Encontro de Saneamento Básico: “Recuperar o Tempo Perdido”
Data e horário:  08 de outubro, às 8h30
Local: Teatro do Sesi São Paulo (Avenida Paulista, 1313 – Cerqueira Cesar – São Paulo)
Programação: https://www.fiesp.com.br/agenda/3o-encontro-de-saneamento-basico-saneamento-basico-recuperar-o-tempo-perdido/