imagem google

Fiesp: ‘Não basta interromper o ciclo de alta de juros, é necessário reduzi-los’

Copom mantém taxa Selic em 11% a.a; para Fiesp e Ciesp, manter taxa nesse patamar será prejudicial à retomada das atividades

Agência Indusnet Fiesp

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central divulgou nesta terça (28/05) a manutenção da taxa Selic em 11% a.a, decidindo pela estabilidade após acumular alta de 3,75 p.p desde abril de 2013.

Para a Federação e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), a manutenção da taxa Selic neste patamar será prejudicial à retomada das atividades. Indústria, comércio e serviços já sentem a redução do volume de vendas, e nem a proximidade do início da Copa traz reversão deste processo.

“A manutenção da taxa de juros em patamar tão elevado diante de uma economia em desaceleração e um crescimento anêmico mostra como a política monetária está descolada da realidade do Brasil. Não basta interromper o ciclo de alta de juros, é necessário reduzi-los, de forma urgente e decidida para que o país volte a crescer num ritmo vigoroso e sustentável, afirma Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp.

“A inflação já dá sinais de recuo. E a política econômica deve buscar o investimento, a produtividade e a manutenção de empregos. E esse juro é contra esses objetivos”, concluiu  Skaf.

Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)
Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp)