imagem google

Fiesp está presente na Conferência do Clima, na Dinamarca

Entidade de representação máxima da indústria de São Paulo compõe com o governo e outras instituições do setor produtivo o Espaço Brasil na COP-15

Lucas Alves, de Copenhague, Dinamarca, para Agência Indusnet Fiesp

As discussões sobre mudanças climáticas, que acontecem a partir desta segunda-feira (7) em Copenhague, na Dinamarca, estão mobilizando todos os setores da sociedade, inclusive o privado.

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) está participando com um corpo técnico que assistirá as negociações realizadas no âmbito da Conferência das Partes do Clima do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, da Organização das Nações Unidas (ONU).

“Será uma oportunidade para acompanharmos de perto todas as discussões que impactam em mudanças climáticas”, afirma o segundo vice-presidente, João Guilherme Sabino Ometto, que chefia a comitiva da Fiesp em Copenhague.

O executivo acredita que a participação do setor produtivo é essencial para contribuir com os debates, já que as mudanças climáticas têm forte impacto nas relações econômicas. “O novo acordo deverá mudar o comércio mundial”, defende.

A Fiesp ocupa com outras entidades do setor produtivo e o governo brasileiro um espaço destinado às delegações oficiais dos 193 países participantes, localizado no Bella Center. A instituição fará uma série de cinco palestras que vão mostrar a preocupação e o engajamento da indústria paulista com o meio ambiente e as questões climáticas.

Os técnicos da Fiesp estão responsáveis por acompanhar discussões dos seguintes temas:

  • REDD;
  • NAMA;
  • Financiamento;
  • Mitigação dos Países Desenvolvidos;
  • Visão Compartilhada;
  • Consequências Econômicas e Sociais das Medidas de Resposta;
  • Ações para Aprimorar o Custo da Mitigação;
  • Mitigação Geral;
  • LULUCF.

COP-15

A Conferência da ONU será realizada até o dia 18 de dezembro, na Dinamarca. Pelo evento deverão passar mais de 100 líderes de quase 200 países, incluindo os presidentes do Brasil e dos Estados Unidos, Luiz Inácio Lula da Silva e Barack Obama, além de governantes da Índia, China e da União Européia.

No discurso inaugural da cúpula da ONU sobre mudanças climáticas, nesta segunda-feira, o primeiro-ministro da Dinamarca, Lars Lokke Rasmussen, destacou a necessidade da construção de um acordo que, além de satisfazer todas as partes, seja forte e ambicioso.