imagem google

Fiesp é citada em reportagem da revista The Economist

Material de capa da publicação sobre o Brasil cita informações de dois estudos da entidade

Agência Indusnet Fiesp

Em reportagem de capa sobre o Brasil, a revista britânica The Economist com data entre 28 de setembro e 4 de outubro cita a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Isso além do uso de informações de dois estudos feitos por departamentos da federação. A Fiesp foi a única entidade de classe brasileira a ser mencionada pela publicação.

Ao todo, são 14 páginas, mais o editoral, discutindo temas como indústria, infraestrutura, política e competitividade, entre outros assuntos. A capa da revista trouxe como título um questionamento: “Has Brazil blown it?” (ou “será que o Brasil estragou tudo?”, numa tradução livre), com a imagem do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, como um foguete em queda. Trata-se de uma referência a uma outra capa, de 2009, com a chamada “Brasil takes off” (“Brasil decola”), sobre as boas perspectivas para o país naquele momento, dessa vez com o Cristo decolando.

A Fiesp foi citada na página 6 da publicação: “Fiesp, São Paulo’s association of industrialists, says firm’s financing costs make up 5% of the end price of manufactured goods”. Ou “a Fiesp, a associação dos industriais de São Paulo, afirma que os custos de financiamento respondem por 5% do preço final dos produtos manufaturados” (em livre tradução).

Os estudos da Fiesp cujas informações foram citadas pela The Economist foram o “Custo Brasil e Taxa de Câmbio na Competitividade da Indústria de Transformação Brasileira Conforme Intensidade Tecnológica”, do Departamento de Competitividade e Tecnologia (Decomtec) e o “Índice Comparado de Desempenho da Infraestrutura de Transporte”, do Departamento de Infraestrutura (Deinfra).

Para ler a reportagem da revista britânica, só clicar aqui (sujeito à paywall).