imagem google

Fiesp cobra planejamento integrado do governo em abertura do Encontro de Logística

Para Paulo Skaf, todos os setores de logística de transportes são prioridade, dado o atraso em que o país se encontra no segmento de infraestrutura

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

A falta de planejamento integrado entre ministérios e agências do governo agrava a deficiente logística de transportes e afeta a competitividade brasileira, afirmou Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) após pronunciamento na abertura do 7º Encontro de Logística e Transportes da Fiesp.

“Muitas vezes, as áreas estadual e federal não se falam como deveriam. Por exemplo: na construção do último trecho do Rodoanel em São Paulo era a oportunidade de fazer também um ferroanel. Faltou diálogo com o governo estadual e o federal na época”.

O evento acontece nesta segunda-feira (21/05) e também nesta terça (22/05), no Hotel Unique, em São Paulo. Durante dois dias, empresários e autoridades participam de painéis e debatem os problemas de logística e transporte. O objetivo é buscar alternativas para desafogar gargalos em portos, aeroportos e rodovias, entre outros modais.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1586020827

Paulo Skaf: 'Muitas vezes, as áreas estadual e federal não se falam como deveriam'


Na agenda das discussões estão previstos temas como marco regulatório para o setor, transporte marítimo e fluvial e aeroportos. Confira aqui a programação.

“Além dessas questões, nós temos outros itens que mexem com a competitividade brasileira, o caso dos juros, que estão baixando, e do câmbio, que deu uma melhorada. O governo deve continuar neste caminho”, acrescentou Skaf.

Para o presidente da Fiesp, todos os setores de logística de transportes são prioridade, dado o atraso em que o país se encontra no segmento de infraestrutura. “Nós atrasamos tanto, que agora tudo tem prioridade. Precisa atualizar o setor e acompanhar o momento. É necessário que isso aconteça. Caso contrário, sem dúvida, o crescimento e o desenvolvimento do país será prejudicado”, concluiu Skaf.

Cerimônia de abertura

Em seu discurso de abertura, o diretor-titular do Departamento de Infraestrutura (Deinfra) da Fiesp, Carlos Cavalcanti, afirmou que houve poucos avanços na logística de transportes desde o último encontro da Fiesp para debater problemas e desafios do setor no ano passado.

“As questões levantadas um ano atrás e as soluções apresentadas seguem pousadas em berço esplêndido”, disse. Segundo Cavalcanti, um planejamento integrado de entes públicos poderia reduzir os custos de logística. “A Fiesp estima, só para o setor industrial, a perda de R$ 17 bilhões por ano. No preço final do produto, isso representa muito mais, então o prejuízo para o consumidor final é muito maior.”